Servidores da UFMS e UFGD e hospitais universitários paralisam

Funcionários pedem carga horária menor e reajuste de salário. Paralisação deve durar 72 horas a partir desta terça-feira.
Quase todos os setores da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) estão paralisados a partir desta terça-feira (7). A Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) também está fechada. Os hospitais das duas universidades estão funcionando parcialmente.
Os motivos são a campanha salarial – cuja data base é 1º de maio – e a jornada de trabalho por 30 horas na UFMS e flexão da carga horária na UFGD. Os alunos das duas universidades podem ser prejudicados em decorrência das paralisações.
No caso da UFMS, os professores não aderiram à paralisação, mas algumas aulas foram canceladas. A paralisação deve durar 72 horas. Até os servidores do hospital universitário aderiram à greve, mas o atendimento continua. Além da unidade de Campo Grande, outros oito polos no Estado também pararam suas atividades.
Já em Dourados, município distante 214 quilômetros da capital, os técnicos administrativos do hospital universitário e da UFGD participam da paralisação nacional. Os funcionários se reuniram na frente da reitoria e também devem suspender as atividades por 72 horas.
Apenas o serviço de seleção para concurso público e de recebimento do questionário socioeconômico dos alunos funcionaram parcialmente. Os professores em Dourados ficaram de fora da paralisação, mas parte deles compareceram na manifestação para apoiar o movimento.
Parte dos servidores do hospital universitário também aderiu a greve. Mas, segundo a assessoria de imprensa do HU, a paralisação não compromete o funcionamento administrativo e nem o atendimento à saúde.

Fonte: G1 MS

Comentários

comentários