Senai vai disponibilizar cursos gratuitos aos assistidos pelo Rede Solidária na Capital

Foto Divulgação
Foto Divulgação

A partir do mês de março o Senai vai abrir as matrículas para preencher 1.000 vagas em diversos cursos gratuitos de qualificação profissional para as pessoas adultas assistidas pelo Programa Rede Solidária desenvolvido pela Sedhast (Secretaria Estadual de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho) na região do Dom Antônio Barbosa, em Campo Grande (MS). O termo de parceria entre Senai e Sedhast foi assinado ontem (28), na Governadoria, pelo presidente da Fiems, Sérgio Longen, pelo diretor-regional do Senai, Jesner Escandolhero, pela governadora em exercício Rose Modesto e pela secretária em exercício da Sedhast, Elisa Pinheiro.

Sérgio Longen destacou que a parceria vai permitir ao Senai disponibilizar sua expertise em qualificação profissional para as pessoas atendidas pelo Programa do Governo do Estado, contribuindo para que elas possam migrar para o mercado de trabalho. “Em razão do momento de dificuldade econômicas em que vivemos hoje, esperamos, sinceramente, que as pessoas aproveitem essa oportunidade que está sendo oferecida. Entendo que essa união entre iniciativa privada e pública dará resultado positivo e é com essa intenção que o Senai é parceiro do Governo nesse Programa”, reforçou.

Oportunidade

Ele acrescenta que, no passado, as pessoas de certa forma esperavam o dinheiro dos benefícios sociais em casa, mas, com a chegada da crise, elas estão reavaliando essa opção e entendendo que o trabalho é a melhor maneira de se buscar receita para sustentar a família. “É nesse momento que as entidades representativas do setor produtivo precisam unir forças com o Estado para qualificar o trabalhador. O emprego engrandece faz com que a pessoa cresça e é nessa direção que nós esperamos contribuir e encaminhar com esse Programa”, garantiu.

A governadora em exercício Rose Modesto pontuou que o Programa atende crianças, adolescentes e adultos de ambos os sexos, priorizando a educação, a cultura, o esporte e também a qualificação profissional. “Estamos na região do Dom Antônio Barbosa desde novembro do ano passado. A comunidade já percebeu a presença do Rede Solidária e está participando, sendo que os índices de violência na região caíram nesses dois meses. E estamos percebendo que é um projeto transformador e que leva oportunidades de crescimento para os moradores”, afirmou, completando que a parceria com a Fiems possibilitará que o Programa possa avançar para outras regiões de Campo Grande e também para o interior do Estado.

Matrículas

Já o diretor-regional do Senai, Jesner Escandolhero, informou que os interessados em qualificação já podem procurar a unidade do Programa Rede Solidária no Dom Antônio Barbosa para se cadastrar nos cursos, que incluem desde pintor de obras, operador de computador e mecânico até padeiro, costureiro industrial e assistente administrativo. “Estamos finalizando a oferta de cursos gerais no Dom Antônio Barbosa, onde as nossas salas de aula funcionarão estrategicamente para atender a todos da melhor forma possível. A partir de março, vamos abrir a matrícula definitiva e iniciar as qualificações”, explicou.

Ele acrescenta que a parceria utilizará a infraestrutura já disponibilizada pelo Programa Ação Cidadania, que leva cursos gratuitos de qualificação profissional do Senai para as regiões carentes de Campo Grande. “Nossa proposta é que o Governo do Estado una esforços com a Ação Cidadania, por meio do Rede Solidária, para ampliação do alcance da oferta dos cursos nas regiões da Capital e também do interior. A expectativa é que, além de proporcionar qualificação nas áreas industriais, os assistidos por programas sociais não necessitem mais de tal assistência por conquistarem emprego”, declarou.

Jardim Noroeste

Ainda durante o evento, a governadora em exercício anunciou a construção de uma nova unidade do Rede Solidária no Jardim Noroeste, bem como estender o Programa para as cidades do interior, priorizando as localizadas na faixa de fronteira com a Bolívia e Paraguai. “Após a inauguração da unidade Dom Antônio Barbosa do Rede Solidária e mais intensamente nas últimas semanas, recebemos várias demandas de prefeitos solicitando a presença do Programa nas suas cidades. A intenção é que neste ano, além de mais duas unidades em Campo Grande, chegaremos ao interior do Estado, possivelmente em uma cidade da faixa de fronteira”, explicou.

Ela justificou a escolha do Jardim Noroeste por concentrar mais de 13 mil moradores e registrar aumento de 150% nos homicídios no período de 2014 a 2015. Também participaram do ato o secretário estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, a coordenadora do Programa Rede Solidária, Ângela Brito, o diretor-técnico do Senai, Gilberto Schaedler, a superintendente do Programa Vale Renda, Ângela Nunes, entre outras autoridades.

Comentários

comentários