Senai e Fibria firmam parceria de R$ 3,5 milhões para qualificação em Água Clara, Brasilândia e Três Lagoas

Foto Divulgação
Foto Divulgação

Durante a assinatura do contrato de parceria para a realização de um programa de qualificação profissional na área florestal entre Senai e a Fibria, nesta sexta-feira (08/07), na unidade operacional de Três Lagoas, o diretor-regional Jesner Escandolhero destacou que a parceria envolve recursos da ordem de R$ 3,5 milhões, tanto para as ações de qualificação, quanto para o fornecimento da bolsa mensal. Com essa parceria, 634 profissionais serão qualificados nos cursos gratuitos de operador de máquinas florestais e de mecânico de máquinas florestais, sendo que os alunos terão direito a uniformes, kits escolares e uma bolsa auxílio no valor de R$ 1.100,00 durante o período do treinamento.

Jesner Escandolhero, destacou a importância da parceria com a Fibria na promoção da qualificação profissional, visando fomentar o desenvolvimento das comunidades da região de Água Clara, Brasilândia e Três Lagoas, onde serão abertas as vagas. “O Senai e a Fibria promovem esse programa de qualificação e isso valoriza, principalmente, o conhecimento e o trabalho local, isso é dar oportunidades para os jovens trabalhadores”, afirmou.

Já o diretor da Fiems, José Paulo Rímoli, reforçou a relevância desse convênio para o município de Três Lagoas e região da costa leste de Mato Grosso do Sul. “A indústria já instalada está se expandindo e com isso a cidade também cresce, além de desenvolver a região ampliando essa formação profissional para os municípios de Água Clara e Brasilândia”, comentou.

Para o gerente de desenvolvimento humano e organizacional do Projeto Horizonte 2 da Fibria, Arnaldo Milan de Souza, uma das contribuições da iniciativa é o desenvolvimento econômico nas comunidades onde a empresa atua, fomentando a geração de emprego e renda e, principalmente, a qualificação profissional. “Nessa parceria, acreditamos que levar ao jovem esse tipo de oportunidade. Esse momento é ímpar para o desenvolvimento das regiões”, declarou, acrescentando que já foram mais de 1.000 inscritos no processo em Água Clara.

O gerente florestal da Fibria, Tomas Dandrea Balistiero, frisou que um dos aspectos mais importantes debatidos para esse projeto foi em relação às pessoas qualificadas para operar já que o volume de operações na área florestal aumentou significativamente. “Então, a formação profissional dá sustentabilidade para o nosso projeto, porque a estratégia é formar essas pessoas com o Senai, vamos ter gente e bem preparados. Obviamente a cidade sai beneficiada, porque circula a economia local”, declarou.

Prefeituras 

Ainda durante o evento, o Senai assinou termos de cooperação técnica com as prefeituras de Água Clara e Brasilândia para a oferta de cursos de qualificação profissional de acordo com a demanda dos municípios e também da cedência do espaço físico, salas de aula e apoio administrativo para a execução das aulas dos cursos dessa parceria.

Na avaliação do prefeito de Água Clara, Silas José, a chegada dos cursos é vista de forma positiva pela população do município. “Seria muito triste entrar nas fábricas e perceber que os trabalhadores não seriam de Água Clara. Então, esse momento é importante porque vai nos fornecer as ferramentas necessárias para qualificar a mão de obra da nossa cidade”, afirmou.

Já o prefeito de Brasilândia, Jorge Diogo, ressaltou que com a explosão industrial de Três Lagoas, o município foi impactado de forma positiva. “Com esses cursos, nosso pessoal vai estar habilitado para disputar no mercado de trabalho nas vagas para a região. Nós que vivemos esse crescimento temos que estar preparados e essa parceria com Sistema S colabora com aquilo que temos pedido para as grandes empresas no sentido de atuarmos juntos”, falou.

Distribuição das vagas

O gerente do Senai de Três Lagoas, Adevaldo Vasconcelos, reforça que o primeiro módulo da parceria já começou em Água Clara no dia 15 de julho com o oferecimento de 196 vagas, sendo 136 para o curso de operador de máquinas florestais e 60 para mecânico de máquinas florestais. Em Brasilândia, o processo de divulgação das vagas terá início em setembro com 196 vagas, das quais 136 são para o curso de operador de máquinas florestais e 60 para mecânico de máquinas florestais.

Já em Três Lagoas o processo de divulgação das vagas começará em março do próximo ano, com 242 vagas, sendo 182 de operador de máquinas florestais e 60 para mecânico de máquinas florestais. “A parceria reafirma o compromisso de fomentar o desenvolvimento continuado das comunidades às atividades industriais no município”, afirmou o gerente do Senai de Três Lagoas.

Para fazer a qualificação, é preciso que o trabalhador tenha habilidade com máquinas móveis e equipamentos industriais, além de Ensino Médio completo e CNH (Carteira Nacional de Habilitação) categoria “C”, “D” ou “E”. Após serem formados, os trabalhadores vão atuar na área de colheita florestal da Fibria para atender a demanda do Projeto Horizonte 2, que terá capacidade de produção de 1,95 milhão de toneladas/ano. Com isso, a capacidade total de produção da Fibria, considerando-se todas as suas unidades no Brasil, passará para 7,25 milhões de toneladas de celulose/ano.

Estrutura

Atualmente, o Senai dispõe de uma unidade móvel de 39 m² equipada com 10 computadores com softwares de simulação virtual que servem de apoio às ações de capacitação que ocorrem nas áreas de colheita florestal, como operador de máquina de colheita florestal. Na prática, o aluno recebe qualificação teórica nos simuladores virtuais e aula prática realizada nas máquinas reais disponibilizadas pelas indústrias do segmento de celulose instaladas no Estado.

Dentro da unidade são ministrados os cursos de operador de forwarder e operador de harvester, sendo que ambos têm carga horária de 380 horas-aulas, e de mecânico de máquinas florestais tem carga horária de 424 horas-aulas, com os três cursos tendo duração de aproximadamente 104 dias. Os cursos têm a finalidade de diminuir as falhas operacionais, além de formar trabalhadores especializados, que é a maior necessidade do segmento neste momento.

Comentários

comentários