Secretário espera resolver impasse com Santa Casa sem prejudicar mais a população

Em entrevista ao PÁGINA BRAZIL na manhã desta quinta-feira (30) o secretário municipal de saúde, Jamal Mohamed Salem, comentou a rejeição da proposta feita pela administração municipal à Santa Casa de Campo Grande.A direção da sociedade beneficente que administra a Santa Casa solicita o pagamento de R$ 4 milhões por mês, durante um ano, mas a prefeitura propõe o pagamento de R$ 3 milhões por mês (2 milhões para procedimentos de média complexidade e 1 milhão para a alta complexidade) por mês, durante dois meses, até a conclusão do trabalho de uma comissão da gestão municipal que pretende fazer um raio-X dos serviços demandados pelo município junto ao principal hospital de Mato Grosso do Sul.

Jamal informou que, por conta das dificuldades financeiras que as administrações públicas de todo o país enfrentam com a atual crise econômica, a prefeitura quer criar essa comissão para identificar precisamente quais são os serviços efetivamente demandados pela secretaria municipal de saúde, que imprescindivelmente precisam ser prestados pela Santa Casa, para investir somente o estritamente necessário.

O secretário garantiu que não há nenhuma dúvida quanto a idoneidade da atual direção da Santa Casa e que a prefeitura não está se negando arbitrariamente a pagar os valores solicitados pela direção do principal hospital de Mato Grosso do Sul, apenas pretende determinar com maior exatidão quais são os valores que devem ser repassados pelos serviços efetivamente prestados.

PARALISAÇÃO DOS MÉDICOS

Durante entrevista ao PÁGINA BRAZIL, o secretário municipal de saúde, Jamal Mohamed Salem falou ainda sobre uma possível paralisação dos profissionais de saúde do município. Diante da decisão da prefeitura de restringir o número de plantões na rede de saúde municipal, por necessidade de reduções de gastos com a folha de pagamento, o secretário afirmou que não acredita que a categoria entre em greve, pois as negociações continuam e a prefeitura e servidores devem entrar em um acordo.

Sobre o anúncio feito nesta quarta-feira (29), por parte dos médicos que atuam na rede municipal de uma aprovaram uma paralisação no atendimento na próxima quarta-feira (06 de maio), o secretário afirmou que ainda hoje será realizada uma reunião com os profissionais para evitar uma suspensão dos trabalhos.

Silvio Ferreira

Comentários

comentários