Secretário defende reposição de aulas na Reme que “pensem primeiro no aluno”

Em entrevista ao programa Tribuna Livre, da Capital FM, e ao portal Página Brazil, o novo secretário de Educação, Marcelo Monteiro Salomão,anunciou que “as aulas dos professores da Reme (Rede Municipal de Ensino) que não entraram em greve serão consideradas para o cômputo geral das horas-aula do semestre na rede municipal de educação. Não podemos prejudicar os professores que mantiveram-se em aula por causa daqueles que participaram da paralisação”, alegou o secretário.

Eduardo Salomão

Salomão também anunciou que “para a reposição das aulas perdidas durante à paralisação dos professores da Reme será realizada uma análise caso a caso, para verificar se o processo será possível ainda durante o ano letivo de 2015, pois um cronograma de reposição de aulas que exija a realização de aulas no ano que vem demandará um plano mais detalhado”.

“Também precisamos analisar o projeto pedagógico das escolas que sofreram com a paralisação. Não podemos pensar apenas em função da greve. Vai ser uma conta difícil de fechar, mas precisamos pensar em primeiro lugar no aluno e depois sim, fazer um esforço conjunto para fechar essa conta. Existem várias possibilidades: aumentar uma hora de aula, fazer aulas em horários alternativos, aulas aos sábados. Temos que identificar qual será a melhor opção para os alunos”, considerou.

Ceinfs – Sobre a previsão de conclusão dos 19 Ceinfs (Centros de Educação Infantil) em construção na capital, o secretário explicou que “a prefeitura está planejando a entrega de pelo menos parte das unidades em construção no ano que vem e negocia com o governo federal a liberação dos recursos do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) que serão destinados à construção dos Ceinfs da capital, para tentar acelerar a conclusão dessas unidades, de demanda tão grande por parte da população”.

Silvio Ferreira

Comentários

comentários