Secretário de Administração mostra eficácia de programas que geram economia

Em entrevista ao programa Tribuna Livre, da Capital FM, e ao portal Página Brazil, o secretário estadual de Administração, Carlos Alberto de Assis, anunciou que o governo do Estado já conseguiu economizar cerca de R$481 milhões através dos pregões eletrônicos e da abertura da base das empresas que vendem para o governo. Assis destacou que o programa “Compras.gov”, medida que pretende direcionar prioritariamente para pequenos empresários, a aquisição de cerca de 200 milhões de itens de insumos (produtos utilizados pelas diversas entidades que integram o governo estadual) que serão adquiridas pelo Estado  em 2016.

DSC_0015

De acordo com o secretário estadual de Administração, “outras medidas do governo do Estado, como a disponibilização de uniformes já no primeiro dia de aula; o programa Obra Inacabada Zero e aparelhar à Polícia Militar; a Caravana da Saúde têm sido prioridades do governo do Estado, para oferecer os serviços do Estado e organizar a economia neste momento de crise.”

No esforço pela economia e oferta de serviços de melhor qualidade pelo governo do Estado, Assis destacou a importância de “se explorar também a expertise da iniciativa privada, em iniciativas como as OSs (Organizações Sociais, pelas quais o governo do Estado se vale de empresas gestoras da área de saúde no setor privado); assim como a locação de veículos, que serão usadas pela Polícia Militar como viaturas, como formas de se aperfeiçoar os serviços oferecidos pelo Estado à população”, defendeu.

Questionado sobre o monitoramento que o governo do Estado fará sobre essas modalidades de serviços, para que não ocorram irregularidades, o secretário garantiu: “Posso te garantir que isso não vai acontecer. O governo Reinaldo Azambuja é um governo legalista, que quer fazer tudo dentro da lei. O nosso objetivo é oferecer o melhor serviço para o contribuinte. Usar uma expertise da iniciativa privada, dentro do controle do governo, dentro da gestão do governamental…Não há problema. Há ganhos, haverá economicidade, haverá entrega de serviços com qualidade. E se você tem experiências bem sucedidas, porque não usá-las?”, argumentou.

O secretário destacou ainda as medidas de “meritocracia” que vem sendo adotadas pelo governo do Estado, a partir de um projeto-piloto no Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), que até dezembro terá mapeado todos os processos junto com os sindicatos que representam os servidores, para definir uma política de valorização dos servidores, através daquilo que ele produz, das competências, porque é isso que esse governo quer: um servidor motivado para que ele entregue serviço de qualidade para o contribuinte”, concluiu.

Silvio Ferreira

Comentários

comentários