Secretária de Educação considera ‘estranha’ a evolução dos gastos com uniformes

A secretária municipal de Educação, Leila Machado, chamou a atenção para “vícios licitatórios” nos processos de compras realizados na gestão anterior: “Como é possível a compra de carne, para a merenda de 99 mil crianças, com três meses de validade”, diz.

Secretária municipal de Educação, Leila Machado Foto Silvio Machado
Secretária municipal de Educação, Leila Machado Foto Silvio Machado

Segundo a secretária, “as normas sobre validação de alimentos são estabelecidas por lei e eu não as questiono, mas é preciso considerar que está faltando merenda na Reme em um contexto em que tivemos que incinerar 1 tonelada de carne”, afirmou.

A secretária anunciou que “auditorias internas na Semed estão sendo realizadas, cujos resultados devem ser encaminhados ao Ministério Público Estadual (MPE)’.

A secretária também questionou “a evolução dos valores nomimais pagos por uniformes na gestão anterior – que 2013 a 2015 subiu de R$ 5 milhões para R$ 8 milhões-, sem o crescimento equivalente no número de alunos ou da inflação. Vamos chamar essa evolução apenas de ‘estranha’ “, ponderou a secretária.

Silvio Ferreira

Comentários

comentários