Santos têm que fazer milagre! Peixe só empata e fica distante do título

O Santos não jogou como quem briga pelo título do Campeonato Brasileiro, chegou a virar o placar contra o Cruzeiro com dois gols de Ricardo Oliveira, mas sofreu o empate por 2 a 2 nos minutos finais, no Mineirão, na tarde deste domingo, com um gol em impedimento de Manoel. A dois jogos do fim do Campeonato Brasileiro, o time paulista ainda sonha com o título nacional, mas só um milagre para ajudar.

ESPN
ESPN

A diferença de pontos para o líder Palmeiras passou voltou a ser seis: 74 a 68. Ainda que iguale a pontuação nas duas rodadas finais, o Santos terá de superar o rival alviverde em gols. A diferença no saldo hoje é de três gols (28 a 25).

No próximo domingo, o Santos vai enfrentar o Flamengo, no Maracanã. Depois vai concluir o campeonato contra o já rebaixado América-MG, na Vila Belmiro.

Já o Cruzeiro tem 48 pontos pontos e é o 12º colocado, ainda com expectativa de conseguir uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores.

A próxima partida do time mineiro será contra o Internacional, dia 27.

Neste domingo, o primeiro gol do Mineirão foi marcado pelo uruguaio Arrascaeta, aos 21 minutos do primeiro tempo. Ricardo Oliveira marcou aos 2 e aos 16 minutos da etapa final. Aos 43, Manoel empatou para o Cruzeiro.

PRIMEIRO TEMPO AZUL

O primeiro tempo foi todo do Cruzeiro. O time mineiro foi ofensivo e perigoso, enquanto o Santos teve atuação apagada e distante do que se espera de quem briga pelo título.

O castigo para os santistas foi o gol de Arrascaeta, que foi marcado de forma incomum. A bola foi cruzada na área. O uruguaio tentou dominar e a bola ganhou altura. Noguera tentou cortar, falhou e, assim que ela caiu no gramado, o atacante chutou no canto direito.

Perdido em campo, o Santos quase levou o aos 30 minutos da etapa inicial. De novo Arrascaeta. Ele driblou Noguera e David Braz e chutou. Vanderlei faz ótima defesa.

Com a equipe mal em campo, o técnico Dorival Júnior mudou o time aos 36 minutos. Tirou Fabián Noguera e colocou o meia Léo Cittadini. Mas a equipe não melhorou.

SORTE SANTISTA

A etapa final começou da melhor forma possível para o Santos. Isso porque logo aos 2 minutos Lucas Romero falhou ao recuar a bola para Fábio e deu de presente para Ricardo Oliveira. Foi o primeiro chute do atacante e virou gol para o Santos.

O time alvinegro não fez muito mais para buscar a virada, mas novamente foi beneficiado em falha do Cruzeiro. Lucas Romero perdeu o tempo da bola e derrubou Léo Cittadini na área. Pênalti para o Santos. Ricardo Oliveira cobrou e fez, aos 16 minutos.

Com 2 a 1 no placar, o Santos poderia jogar com mais tranquilidade? Poderia. Mas não jogou. O Cruzeiro chegou com perigo mais vezes e parou em excelentes defesas de Vanderlei.

A justiça foi feita aos 43 mintuos quando Manoel marcou de cabeça o gol de empate do Cruzeiro. No entanto, ao desviar a bola após cobrança de falta de Byran, o zagueiro estava em posição de impedimento.

POLÊMICA

Aos 24 minutos da etapa final, quando o Cruzeiro pressionava para empatar, ocorreu um lance bastante polêmico. Marcos Vinícius cruzou para dentro da área e ela bateu no braço de Léo Cittadini. O árbitro Heber Roberto Lopes não marcou nada.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO X SANTOS
Local:
Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 20 de novembro de 2016, domingo
Horário: 17 horas (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC/FIFA)
Assistentes: Kleber Lúcio Gil (SC/FIFA) e Carlos Berkenbrock (SC)
Cartão amarelo: Alisson, Henrique e Lucas Romero (CRU); Jean Mota, Lucas Lima e Vanderlei (SAN)
Cartão vermelho: Arrascaeta, aos 35 minutos do 2º tempo
Gols: Arrascaeta, aos 21 minutos, do 1º tempo; Ricardo Oliveira, aos 2 e aos 16 minutos, e Manoel , aos 43, do 2º tempo

CRUZEIRO: Rafael, Lucas Romero, Léo, Bruno Rodrigo, Edimar, Henrique, Ariel Cabral (Bruno Nazário), Arrascaeta, Robinho (Marcos Vinícius), Willian (Ábila) e Alisson. Técnico: Mano Menezes

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Fabián Noguera (Léo Cittadini) e Zeca; Renato, Thiago Maia (Jean Mota) e Lucas Lima; Vitor Bueno (Lucas Veríssimo), Copete e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior

Comentários

comentários