Romário “não acha” milhões na Suíça e ironiza Revista Veja: ‘chateado’

O jogador Romário Faria P(PSB-RJ) usou a sua página no Facebook nesta quarta-feira para ironizar mais uma vez a revista “Veja”, que publicou uma reportagem na última semana dizendo que o parlamentar possuía R$ 7,5 milhões em uma conta na Suíça.

Romário publicou foto nesta quarta-feira direto de Genebra (Foto: Reprodução)
Romário publicou foto nesta quarta-feira direto de Genebra (Foto: Reprodução)

Em uma foto em Genebra, Romário disse estar “chateado”, já que chegou ao país europeu e descobriu que não é dono “dos R$ 7,5 milhões” citados pela Veja.

“Agora, aqueles que devem, podem começar a contar as moedinhas, porque a conta vai chegar de todas as formas. Eu não finjo ser descente, não faço de conta ser sério e pareço ser correto. Eu sou!!!”, concluiu o senador.

No último domingo, Romário já havia publicado uma nota oficial sobre a reportagem da Veja. Segundo o comunicado, o senador se mostrou bem humorado e disse que ficou “muito feliz com a notícia” e que, assim que possível iria “ao banco para confirmar a posse desta conta, resgatar o dinheiro e notificar a Receita Federal”.

O senador explicou que, pelo fato de ter trabalhado em muitos clubes fora do Brasil, “é possível que tenha sobrado algum rendimento que chegou a essa quantia” e que se sentia “como um ganhador da Mega Sena”. Veja a nota oficial publicada pelo parlamentar na íntegra:

Nota de esclarecimento

Galera, bom dia

Na quinta-feira, fui informado por um repórter da Veja que eu tinha uma conta na Suíça com o saldo de alguns milhões. A matéria saiu na edição impressa da revista. Obviamente, fiquei muito feliz com a notícia, assim que possível, irei ao banco para confirmar a posse dessa conta, resgatar o dinheiro e notificar a Receita Federal.

Espero que seja verdade, como trabalhei em muitos clubes fora do Brasil, é possível que tenha sobrado algum rendimento que chegou a essa quantia. Estou me sentindo um ganhador da Mega Sena, só que do meu próprio honesto e suado dinheiro.

O que há de estranho nisso é a informação da revista de que a aplicação seria de 2013, certeza que eu não fiz nenhuma aplicação no período recente. Também não recebi nenhuma notificação do Ministério Público a respeito. Mas como se trata da revista Veja, se a informação estiver errada, não será nenhuma surpresa.

Essa mesma matéria diz, por exemplo, que eu desfilo de Ferrari pelas ruas do Rio, algo impossível já que o carro já não se encontra na cidade há alguns anos. A saber, o veículo foi comprado em 2004. O repórter diz ainda que eu teria negociado com meu partido, o PSB, o pagamento do aluguel da casa onde moro no Lago Sul, como uma forma de compensar minha refiliação a legenda. Essas e outras mentiras costuram o enredo de uma farsa. Coisa que a revista tem expertise em fazer.

Se vocês lerem a matéria, perceberão que não há uma fonte sequer identificada de acusações contra mim. Vale informar que durante as eleições do ano passado, essa mesma cretina revista tentou publicar essa matéria contra mim com claras motivações políticas. A matéria não saiu, na época, por falta de consistência.

Não é de suspeitar que uma semana depois de eu despontar com alto índice de intenções de votos para a prefeitura do Rio, a publicação tenha sido resgatada com esse fato novo da conta na Suíça. Difícil é esperar credibilidade de uma revista como essa, que vende capa.

Espero que, pelo menos, a conta seja verdade. Porque dinheiro honesto, ganho com muito suor, não faz mal a ninguém. Bom lembrar que problemas financeiros todo mundo tem e os meus sempre foram com recursos privados, nunca nada com R$ 1 de dinheiro público.

Ademais, podem atacar, mas eu continuarei presidente da CPI do Futebol e imbuído de vontade de moralizar o futebol brasileiro.

Sobre o meu futuro político, nada vai tirar meu foco!

Aos meus concorrentes, minhas pretensões se fortalecem com matérias como essas.

Aos repórteres que assinam mentiras, nos vemos na justiça.

TERRA

Comentários

comentários