Roger recusa o Flamengo, e Reinaldo Rueda diz que não foi procurado

Após a saída de Zé Ricardo, o Flamengo analisa as opções no mercado para anunciar o seu novo treinador. O preferido da torcida é o colombiano Reinaldo Rueda, campeão da Libertadores do ano passado. Em entrevista ao Correio Braziliense, ele disse não ter sido procurado pelo clube carioca. Roger Machado, que recentemente deixou o comando do Galo, era um dos favoritos. Ele é bem visto por parte da diretoria rubro-negra e conta com a simpatia de nomes influentes no futebol do Fla. No entanto, o ex-jogador recusou a sondagem pouco depois de ter sido procurado.

Os primeiros contatos com Roger Machado foram feitos logo após o anúncio da demissão de Zé Ricardo. Com um bom trabalho no Grêmio, o treinador era visto como uma opção viável. Contudo, ele não não aceitou porque prefere ficar afastado do futebol nacional até o fim deste ano.

Jorginho, demitido do Bahia há uma semana, já trabalhou no Flamengo sob o comando do presidente Eduardo Bandeira de Mello. No entanto, ele deixou o clube carioca em 2013 apenas 14 partidas depois de ser anunciado como treinador. A favor do ex-lateral pesa a identificação com o clube.

Consultada pela reportagem do LANCE! nesta segunda, a diretoria do Flamengo informou que ainda não definiu o assunto. Enquanto isso, Rueda está na Europa aprimorando-se em contato com grandes nomes do futebol. Ele tem o sonho de voltar a comandar a seleção de seu país, a Colômbia.

Como o Flamengo está na semifinal da Copa do Brasil e faz o primeiro jogo contra o Botafogo no dia 16, o cenário “exige” uma definição rápida. A diretoria rubro-negra ainda tem confiança na recuperação da equipe no Brasileiro, com todo o segundo turno pela frente. O título, porém, está muito distante, uma vez que o Corinthians tem 18 pontos a mais do que o time carioca.

O diretor executivo do Flamengo, Rodrigo Caetano, conversou com a imprensa na noite desta segunda-feira, no Ninho do Urubu, e evitou falar em nomes neste momento de negociações para definir o técnico.

Comentários

comentários