Roberto Jefferson deixa presídio empolgado: ‘Vou namorar muito’

Delator do Mensalão declarou que não pode falar sobre política e revelou detalhes sobre sua saúde

Rio – O ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ) Roberto Jefferson foi solto às 11h deste sábado no Instituto Penal Francisco Spargoli Rocha, em Niterói, após autorização do ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele irá cumprir o restante de sua pena em regime aberto. Ao lado da filha, a deputada federal Cristiane Brasil (PTB), e da companheira, Ana Lucia, Jefferson disser estar “em paz” e declarou que não pode falar sobre política pois não quer voltar a ser preso.

Roberto Jefferson evitou falar sobre política com jornalistas, mas deu um beijinho na esposa Foto:  Mauro Pimentel / Agência O Dia
Roberto Jefferson evitou falar sobre política  mas deu um beijinho na esposa Foto: Mauro Pimentel / Agência O Dia

“Fiquei 14 meses preso”, contou Jefferson. Aparentemente bem, o delator do mensalão relata que nesse tempo passou por oito infecções intestinais e não tem mais duodeno, nem vesícula. “Tive total apoio na unidade prisional para cuidar da minha saúde”, disse. “Nenhuma prisão é boa, mas nunca vi ninguém ser maltratado”, completou.

Ele conta que hoje é auxiliar de escritório e vai comparecer uma vez por mês à Vara de Execuções Penais, além de trabalhar em um hospital. “Na política quem fala é a Cris, passei para ela”, comentou quando indagado mais uma vez sobre o assunto.

Brincalhão, Jefferson também planeja outras ocupações: “Vou namorar muito”, disse ele, abraçando a companheira. Jefferson está de casamento marcado para o dia 29 de maio, com festa prevista para cidade de Três Rios.

Político deixou o local dirigindo o próprio carro Foto:  Mauro Pimentel / Agência O Dia
Político deixou o local dirigindo o próprio carro Foto: Mauro Pimentel / Agência O Dia

Segundo sua filha, ele irá morar em um apartamento alugado na Barra da Tijuca. Ele deixou o local acompanhado dirigindo o próprio carro.

No trajeto até o Condomínio de luxo Golden Green, na Barra, Jefferson fez um “tour” pela cidade e passou por Laranjeiras, Cosme Velho, Lagoa e outros e aproveitou as belezas da cidade. Ao chegar em casa, Jefferson pediu comida de um restaurante japonês de luxo e a conta deu R$500.

Figura central em um dos maiores escândalos de corrupção no Brasil, Jefferson confessou participar do esquema e e foi condenado a sete anos e 14 dias de prisão em regime semiaberto pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele começou a cumprir a pena em fevereiro de 2014 em Niterói. O julgamento de seus crimes no STF resultou na prisão de importantes líderes do PT, como o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, o ex-deputado federal José Genoíno e o ex-tesoureiro Delúbio Soares.

O DIA

Comentários

comentários