Reunião entre prefeitura e Santa Casa termina em impasse, mas solução pode sair nesta tarde

O presidente da ABCG (Associação Beneficente de Campo), Wilson Levi Teslenco, se reuniu a portas fechadas na manhã desta segunda-feira(23), com o chefe de gabinete Paulo Matos, que representou o prefeito Gilmar Olarte (PP), para mais uma tentativa de resolução sobre o aumento no repasse mensal, que hoje é de R$ 3 milhões, destinados a Santa Casa de Campo Grande.

Presidente da ABCG se reunião a porta fechadas com o chefe de gabinete Paulo Matos nesta manhã. (Foto: Paulo Francis)
Presidente da ABCG se reunião a porta fechadas com o chefe de gabinete Paulo Matos nesta manhã. (Foto: Paulo Francis)

Após pouco mais de 30min de conversa Teslenco saiu da sala afirmando que nada foi definido até o momento. “A expectativa era que houvesse os termos desta proposta para que a Santa Casa pudesse avaliar e formar um juízo, mas fomos informados que ainda estão formulando uma proposta e que ela será apresentada na reunião que acontecerá no final da tarde”, conta o presidente.

Teslenco ressalta que que a Instituição está operando baseado na responsabilidade e no compromisso social que tem com a população de Campo Grande e também na confiança da responsabilidade dos gestores em trazer uma solução para essa situação. “A Santa Casa sem um contrato pode correr o risco de não receber nenhum dos recursos, mas eu acredito que seja uma situação bastante remota já que é um hospital que atende a maior demanda de pacientes na Capital e portanto não imagino que essa situação deva ocorrer”, afirma Teslenco.

De acordo com um assessor da prefeitura, nesta manhã estava prevista ocorrer apenas uma pré-reunião para que fosse definido o rumo da reunião a ser realizada no período da tarde, e por conta disso não haveria necessidade da presença da imprensa, convocada pela Santa Casa.

A nova reunião está prevista para acontecer às 18h, no prédio da SES (Secretaria de Estado de Saúde) e contará com a presença do presidente da ABCG, representantes da Comissão de Estado de Saúde, MPE (Ministério Público Estadual), do chefe de gabinete Paulo Matos e do chefe da Sesau, Jamal Mohamed Salem.

 Paulo Francis

Comentários

comentários