Restaurante onde rato caiu em prato de cliente reabre com novo nome

Incidente ocorreu em junho, quando coronel da PM almoçava na São Salvador, Zona Sul

Rato caiu vivo em prato de coronel da PM no tradicional restaurante Casa Brasil, na São Salvador, em Laranjeiras Foto:  WhatsApp O DIA (98762-8248)
Rato caiu vivo em prato de coronel da PM no tradicional restaurante Casa Brasil, na São Salvador, em Laranjeiras
Foto: WhatsApp O DIA (98762-8248)

Rio – Quase dois meses depois de um rato cair vivo no prato de um cliente e de ter sido interditado, o restaurante Casa Brasil, na São Salvador, em Laranjeiras, Zona Sul do Rio, reabriu nesta quinta-feira, repaginado. Agora, o estabelecimento — que passou por reforma e foi fechado pelo Procon — volta com nome novo: Império da Praça.

Rato cai vivo em prato de cliente em restaurante (Atenção: imagem forte )
Nesta quinta-feira, o restaurante abriu apenas para convidados. Nesta sexta, o Procon liberou o local. A Casa Brasil estava fechada desde a noite de 18 de junho. No mesmo dia, um rato caiu vivo direto no prato do coronel da Polícia Militar e superintendente de Inteligência do Palácio Guanabara, Renan Gomes, durante seu almoço. “Estamos à mercê da falta de qualidade na prestação de serviços”, disparou o militar.

“Estava almoçando normalmente quando o camundongo caiu vivo no meu prato. Ele chegou ainda a se contorcer ali. Obviamente perdi o apetite. Chamei a viatura e fui fazer o registro na delegacia”, relatou o coronel. O Procon foi ao local na mesma noite e encontrou baratas e mais ratos no local.

O Procon também desinterditou nesta sexta-feira a Padaria e Confeitaria Girão dos Pães, na Rua 24 de Maio, no Méier, Zona Norte do Rio.

O estabelecimento havia sido interditada na última quarta-feira, dia 12, depois de fiscais constatarem péssimas condições de higiene e cinco botijões de gás no interior do estabelecimento, o que é proibido pelas normas de segurança do Corpo de Bombeiros.

Nos dois casos, os fiscais retornaram aos locais interditados, comprovaram que as irregularidades foram corrigidas e desinterditaram os estabelecimentos.

O DIA

Comentários

comentários