Renan diz que PT aparelhou o Estado e crítica Temer

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), acusou o PT, nesta quinta-feira (30), de aparelhar o Estado e criticou a atuação do vice-presidente e correligionário, Michel Temer, à frente da coordenação política do governo.

“O pior papel que o PMDB pode fazer é substituir o PT naquilo que o PT tem de pior, que é no aparelhamento do Estado. O PMDB não pode transformar a coordenação política, sua participação no governo, em uma articulação de RH, para distribuir cargos e boquinhas”, afirmou Renan.

Temer foi escalado pela presidente Dilma Rousseff para comandar a distribuição de cargos no segundo escalão para acalmar o PMDB. Nas últimas semanas, o vice tem trabalhado para distribuir entre os membros da base aliada cargos como a presidência de autarquias e a direção de departamentos vinculados a ministérios.

Segundo Renan, Temer deveria trabalhar para melhorar a coalização que dá sustentação ao governo. “O papel é esse, não o retrocesso que essa distribuição de cargos significa”, disse.

Apesar das críticas, Renan mantinha um aliado à frente do Ministério do Turismo até o último dia 15, quando perdeu o cargo para o PMDB da Câmara. Com Temer à frente da articulação política, o peemedebista também conseguiu emplacar nomes no segundo escalão, como o de Jorge Luiz Macedo Bastos na diretor-geral da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres).

Questionado se ele iria pedir para os seus apadrinhados políticos deixarem os cargos, Renan desconversou. “O que não quero é participar do Executivo. Não vou indicar cargo no Executivo. Esse papel hoje é incompatível com o Senado independente. Prefiro manter a coerência do Senado independente não participando de forma nenhuma de indicação de cargos no Executivo”, afirmou.

UOL

Comentários

comentários