Relatório inconsistente e insubordinação derrubam Marcos Alex do Gaeco

Por ser considerado inconsistente e irresponsável, o relatório final do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) sobre a suspeita de que vereadores e empresários se uniram para cassar o mandato do prefeito Alcides Bernal (PP), elaborado pelo promotor auxiliar Marcos Alex Vera de Oliveira, abriu guerra no Ministério Público Estadual (MPE).

Humberto Brites foi xingado por Marcos Alex por chamá-lo atenção Foto: Divulgação
Humberto Brites foi xingado por Marcos Alex por chamá-lo atenção Foto: Divulgação

Segundo o Jornal Correio do Estado, o promotor de Justiça levou “puxão de orelha” do procurador-geral de Justiça, Humberto Brites, por agir de forma “irresponsável”.

Marcos Alex reagiu mandando o chefe “tomar no meio do c…!!!”. Essa conversa teria ocorrido por mensagem no WhatsApp.

Isto mostra o clima de apreensão no MPE. Por causa das ofensas e insubordinação, Marcos Alex será demitido da coordenação-geral do Gaeco e poderá ficar encostado numa promotoria.

O procurador-geral de Justiça pediu para sua equipe de promotores-assessores refazer o relatório com realização de novas diligências, porque as investigações feitas pelo Gaeco foram consideradas frágeis. E nesta nova fase, Marcos Alex está proibido de participar da confecção do relatório.

Comentários

comentários