Reinaldo inaugura ala de terapia no São Julião e estuda convênio para cirurgia de olhos

O governador Reinaldo Azambuja participou nesta quarta-feira (4) da solenidade de inauguração de uma nova ala do Hospital São Julião, na Capital. Serão 22 novos leitos em um espaço, CCI (Centro de Cuidados Continuados Integrados) de 1,2 mil m², com investimentos de R$ 5 milhões.

Foto: Chico Ribeiro
Foto: Chico Ribeiro

“A lógica do nosso governo é apoiar, tanto para custeio quanto investimento, a ampliação dessas estruturas em atendimento a SUS. E aqui é um bom exemplo de uma entidade que presta um bom trabalho. Com atendimento especializado e de excelência”, afirmou o governador.

Os 22 novos leitos custarão mensalmente R$ 200 mil, valor que será financiado por uma parceria entre os governos do Estado, municipal e a União. Na nova unidade, que recebeu o nome de Dom Aldo Rabino, será implantado um novo modelo de assistência à saúde, onde o atendimento será feito por equipe multidisciplinar (médico, enfermeiro, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, farmacêutico, psicólogo e assistente social). O objetivo é permitir que o paciente retome sua rotina de atividades diárias, tais como alimentar-se, vestir-se, andar e outras.

“O hospital prima pela solidariedade e pela preservação da vida, e este é um projeto que acontece em apenas três cidades no país, e o São Julião já se tornou uma referência de sucesso”, afirmou Beatriz Dobashi, colaborada da entidade.

O governo estadual investiu quase R$ 400 mil na infraestrutura da nova unidade, além de colaborar com recursos próprios em equipamentos e itens hospitalares para o CCI.

Além de assinar um convênio que vai destinar R$ 412 mil para custeio das atividades do hospital, o governador ainda autorizou, durante a solenidade, o aumento nos repasses mensais que o governo faz ao São Julião.

Ainda durante o evento, Reinaldo Azambuja revelou que a administração estadual estuda uma pactuação de atendimento com a entidade para atendimento de pacientes após a realização da Caravana da Saúde.

O governador também fez referências ao exemplo de vida da diretora executiva do hospital, irmã Silvia Vecellio, que há 50 anos atua no local, “com os mesmos princípios, da solidariedade e de levar atendimento principalmente aos mais carentes, às pessoas que mais necessitam”, finalizou Azambuja.

Comentários

comentários