Reinaldo diz que proposta de reajuste está “dentro do possível”

Durante agenda realizada nesta sexta-feira (1°), o governador do Estado Reinaldo Azambuja (PSDB) disse que o abono de R$ 200 concedido aos servidores estaduais está dentro do possível e da legalidade,.

Governador alegou que receita foi baixa - Foto Chico Ribeiro
Governador alegou que receita foi baixa – Foto Chico Ribeiro

Na quinta-feira (31), o Executivo Estadual propôs o abono, que vai variar de 4,4% a 20% de reajuste nos salários dos servidores. O aumento, no entanto, não agradou todas as categorias, como é o caso dos policiais civis, que pedem 20,20% de reajuste.

Reinaldo disse que que é o possível “você poder atender as categorias com escasso recurso disponível. Isto porque nós já estamos praticamente no limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal e se a gente ultrapassar isso têm inúmeras sanções, não ao Governador, mas ao Estado de Mato Grosso do Sul”, declarou.

Mesmo com o aumento já anunciado, o governador diz que continuará dialogando com todos os segmentos.

As entidades que representam o funcionalismo público estadual pediam reajuste de 16,14% Sobre os protestos dos servidores, Azambuja afirmou serem legítimos e disse o Governo “nunca vai tirar isso dos servidores”.

O impacto de reajuste será de 4,4 a 6,66% para 8.706 servidores, de 6,67% a 9,9% para 5.296 e de 10 a 20% para 11.899 servidores. Esta índice é referente a variação que os R$ 200 no salário-base.

Nesta manhã, policiais civis aderiram a uma paralisação de 12 horas. Eles pedem melhorias nas condições de trabalho, além do reajuste de 20,20%.

Comentários

comentários