Reinaldo destaca tecnologias para aumento da produtividade no campo

A importância do uso de tecnologias no campo para o aumento da produtividade foi destaque no discurso do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) durante lançamento do Showtec 2016 – uma das maiores feiras de tecnologia agropecuária do Brasil.

Reinaldo Azambuja (PSDB) durante discurso no evento (Foto: Chico Ribeiro)
Reinaldo Azambuja (PSDB) durante discurso no evento (Foto: Chico Ribeiro)

O evento, que vai acontecer entre os dias 20 e 22 de janeiro do ano que vem, em Maracaju, foi lançado nesta terça-feira (17) na Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), em Campo Grande.

Ao discursar, Reinaldo fez uma retrospectiva dos avanços do setor agropecuário e afirmou que o ganho de produtividade se deve ao trabalho de pesquisas e difusão de tecnologias.

“Nós percebemos essa evolução, na expansão de áreas plantadas e no aumento da produtividade em todos os setores da agricultura e da pecuária. Daí vem a importância de as pesquisas estarem próximas do produtor”, falou.

Para o governador, o local certo para conhecer as tecnologias desenvolvidas é o Showtec 2016, que chega a sua 20ª edição no próximo ano.

Realizada pela Fundação MS, a feira vai trabalhar o tema “Tecnologia é o nosso negócio” e terá apoio de mais de 130 empresas com exposição de mais de 150 tecnologias. O objetivo é gerar e adaptar tecnologias para apoiar o expressivo crescimento da área cultivada em Mato Grosso do Sul.

Segundo o presidente da Fundação MS, Luis Alberto Moraes Novaes, os participantes da feira vão ter acesso a técnicas que podem ser empregadas nas atividades campeiras.

“Nosso negócio está no campo, esparramado em 12 unidades de pesquisa e mais de 21 mil trabalhos de norte a sul de Mato Grosso do Sul. O Showtec é uma ferramenta para que a gente possa demonstrar essas pesquisas para que o produtor faça suas melhores escolhas e leve para o campo aquilo que realmente funciona”, explicou.

O trabalho desenvolvido pela Fundação MS foi reconhecido pelo presidente da Famasul, Maurício Saito. “A Fundação MS atinge uma área aproximada de 1,5 milhão de hectares em todos os municípios contemplados pelas pesquisas.

 

Para se ter uma ideia, os cinco anos consecutivos de aumento de produção de soja e da pecuária é graças a evolução de pesquisas da Fundação MS”, falou.

Áreas degradadas

Entre as dezenas de discussões que o Showtec vai levantar, a ILPF (Integração de Lavoura, Pecuária e Florestas) se destaca como alternativa para preenchimento de áreas degradas do Estado.

“Nós temos em Mato Grosso do Sul uma oportunidade ímpar, de cerca de oito milhões de hectares de pastagens degradadas onde esse sistema integrado pode se encaixar perfeitamente”, disse o presidente da Fundação MS. “O foco é poder elevar a produtividade nessas áreas”, completou.

Segundo Reinaldo, a recuperação de áreas degradadas faz Mato Grosso do Sul ser um “horizonte de oportunidades”. Para ele, a “questão da expansão, através de novos programas de corporação de áreas degradas em segmentos produtivos, principalmente na integração lavoura, pecuária e floresta, serve para aumentarmos a produção e a renda”.

Comentários

comentários