Reinaldo destaca competitividade de MS com inauguração de ponte

A integração logística em Mato Grosso do Sul dá mais um passo em direção ao desenvolvimento com a inauguração da ponte sobre o Rio Paraná, que liga as cidades de Três Lagoas (MS) a Castilho (SP). Com a presença do Ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella Lessa, o governador Reinaldo Azambuja, comemorou mais uma importante obra que vem para tornar a economia do Estado mais competitiva.

Governador e ministro durante o ato em Três Lagoas (Foto: Chico Ribeiro )
Governador e ministro durante o ato em Três Lagoas (Foto: Chico Ribeiro )

“O grande gargalo de toda a cadeia produtiva do país hoje se chama integração logística. Se nós tivermos condições de ampliar os investimentos em rodovias, hidrovias, ferrovias e aeroportos nossa economia será muito mais competitiva, gerando mais oportunidade de empregos e alavancando a economia local. Essa ponte é um sonho antigo. Durante muito tempo a Usina de Jupiá serviu de travessia das nossas riquezas e da importação dos produtos que vem de fora. Não tenho dúvida ministro que esta obra vai beneficiar e muito nossa população”, declarou Reinaldo.

A nova ponte foi construída sobre o Rio Paraná, na rodovia BR-262, entre os municípios de Três Lagoas (MS) e Castilho (SP). Com 1.344 metros de extensão a ponte possui três faixas para o tráfego de veículos. A obra é de suma importância, uma vez que o Estado é a convergência dos principais centros consumidores do País, como São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

O Ministro Maurício Quintella Lessa declarou que o Presidente da República Michel Temer deu ordem para priorizar as obras com alto grau de execução como a ponte sobre o Rio Paraná. “Uma das melhores formas de combater o desemprego é com investimento em infraestrutura. Essa obra conclui um corredor de escomento de produção, com impacto econômico e também é emblemática para a integração do país, uma vez que se instala em um importante polo industrial. Vamos seguir trabalhando para juntos com Estados e municípios tirar nosso país da crise que atravessamos”, afirmou o ministro.

A senadora Simone Tebet relembrou que a construção da ponte era uma das batalhas de seu pai, o senador Ramez Tebet e o senador Pedro Chaves destacou que a construção de pontes fazem a ligação para o desenvolvimento de toda uma nação.

Aumento do fluxo de veículos

O secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, ponderou a questão da trafegabilidade, uma vez que a barragem da Usina de Jupiá já não suportava mais o fluxo diário de 13 mil de veículos, entre automóveis de passeios e caminhões de carga.

“Nos últimos 15 anos, o eixo Três Lagoas-Campo Grande tornou-se uma rota importante de importação e exportação, decorrente da industrialização da costa leste do Estado. Além de contribuir com a logística, a ponte é importante pelo fato da segurança, pelo tempo médio de passagem na divisa de MS e SP, agilizando o transporte. Isso tudo se traduz em redução de custos”, afirma Verruck.

Jaime acrescenta ainda que o próximo passo é integrar a rota com projetos de estruturação de novas vias e acesso na área urbana de Três Lagoas, dando agilidade a passagem de cargas.

Acessos ao grande centro

Esta é a quinta ligação entre os estados de Mato Grosso do Sul e São Paulo, geograficamente separados pelo rio Paraná. Do lado sul-mato-grossense, o trecho de acesso completa o traçado definitivo da BR-262, alterando o caminho que leva à barragem da usina. Do outro lado do Rio Paraná, em Castilho, uma nova via de acesso foi construída da ponte até rodovia estadual SP-300 (Marechal Rondon).

Comentários

comentários