Rapaz é preso suspeito de estuprar menina de 3 anos em Amambai

Edno Franco, de 24 anos. Ele é acusado de abusar sexualmente de uma menina de três anos, em Amambai. (Fotos: Vilson Nascimento)
Edno Franco, de 24 anos. Ele é acusado de abusar sexualmente de uma menina de três anos, em Amambai. (Fotos: Vilson Nascimento)

O Setor de Investigação Geral (SIG) da Delegacia de Polícia Civil local prendeu na manhã da última quinta-feira, 30 de abril, um rapaz de 24 anos acusado de estuprar uma menina de apenas 3 anos.

Segundo a Polícia Civil o crime ocorreu na noite da quarta-feira (29) em uma residência situada na região da Vila Cristina em Amambai, cidade distante 332 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com a polícia, Edno Escobar Franco, que é de origem paraguaia, assistia TV na sala com a vítima quando a criança saiu correndo do local chorando e com sangramento na parte genitália.

A vítima foi levada a uma farmácia e o Conselho Tutelar foi acionado depois que foram notados os ferimentos na criança. O caso foi encaminhado a Polícia Civil.

Segundo o delegado encarregado pelas investigações, Dr. Mikaill Alessandro Gouveia Faria, ao ser submetida a exame de corpo e delito, foi comprovado, por meio de laudo médico, que a menina havia sofrido abuso sexual.

Segundo ele, no ato da prisão Edno Franco, que é amasiado com a avó da vítima, uma mulher de 48 anos, em primeiro momento teria negado o estupro, mas logo em seguida acabou confessando o abuso.

Segundo a polícia, o acuasado confrmou que tocou com a mão nas partes íntinas da crianaça.

Encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil de Amambai, Edno foi autuado em flagrante por estupro de vulnerável, crime que em caso de condenação acarreta em uma pena que varia de 8 a 15 anos de prisão.

Segundo o delegado, caso ocorra agravante no quadro clínico da vítima em decorrência da agressão sofrida, a lei prevê que que o autor pode cumprir entre 10 e 20 anos de cadeia. Se ocorrer morte a pena passa a ser de 12 a 30 anos de prisão.

Com Informações A Gazeta News

Comentários

comentários