Quadrilha usou nome de paratleta morto para financiar veículo na Capital

A Delegacia Especializada em Combate ao Crime Organizado (Deco), deflagrou na manhã desta segunda-feira (07), em Campo Grande, a Operação Delaroli. Uma quadrilha especializada em usar documentos de pessoas mortas e aposentadas para financiar carros foi presa.

A operação foi desencadeada após a polícia descobrir que havia um veículo financiado na Capital no nome de Gustavo Delaroli, um nadador que ficou tetraplégico após um acidente em uma das competições e se tornou um paratleta de handbike (bicicleta pedalada com as mãos). Ele morreu em dezembro de 2013 em uma cidade do interior de São Paulo.

04_12_2013_17_00_14_487_

Durante a operação, Mouracy Vitório de Lima foi identificado como chefe da quadrilha. Ele e mais três pessoas, sendo um vendedor de carros, um servidor público e um despachante foram presos. Durante a operação, foram cumpridos três mandados de busca e apreensão e oito de prisão.

A quadrilha financiava veículos por meio de fraude documental e ocultação de patrimônio.

Comentários

comentários