PT tem bens apreendidos de sua sede regional pela Justiça

O processo que tramita há anos na Justiça sul-mato-grossense depois que mãe e filha se feriram em um comício do Partido dos Trabalhadores, realizado em 1998, teve novo capítulo nesta quarta-feira (22).

Em cumprimento à decisão judicial, bens foram retirados da sede do PT em Campo Grande, no Jardim Bela Vista.

Segundo a ação que tramita na 3ª Vara Cível de Ponta Porã, o valor total do débito para execução da sentença é de R$ 158,4 mil. Para que o valor fosse repassado às vítimas, a Justiça determinou o bloqueio e apreensão de bens.

Em maio do ano passado, o partido chegou a oferecer R$ 100 mil em busca de acordo com as mulheres, mas mãe e filha não aceitaram a proposta, que na época foi considerada vergonhosa.

Entre os bens apreendidos hoje estão geladeiras, armários e sofás. Tudo deve ser encaminhado para as mulheres feridas na época do comício, Francisleite Souza e Priscila Souza.

O CASO

Mãe e filha entraram com processo na Justiça pedindo indenização por dano moral e material no valor de R$ 400 mil após terem parte dos corpos queimados com a explosão de uma caixa de fogos que estava em cima de uma carreata da legenda.

O comício aconteceu em Ponta Porã, no ano em que José Orcírio dos Santos, reelegeu-se no cargo de governador do Estado. Por conta da indenização não paga, a Justiça determinou que bens da sigla regional fossem bloqueados.

Comentários

comentários