PT não promoverá caos, mas lutará contra ações anti-sociais que Temer representa, diz Alex

AlexPT
Alex conversou com o Página Brazil no fim da manhã. Na abertura dos trabalhos da Câmara ele já havia registrado sua posição (Foto: Lúcio Borges)

O vereador Alex do PT, que é candidato a prefeito de Campo Grande, analisou no fim da manhã desta quinta-feira (12) a situação provocada pela oficialização do Impeachment da presidenta Dilma Roussef (PT), que ocorreu no início da manhã de hoje no Senado Federal. Ele falou do comportamento da questão do afastamento por 180 dias de Dilma e como o partido vai proceder nos próximos meses e ele mesmo vai agir diante do fato como ou para influencia em sua candidatura na Capital. O parlamentar se solidarizou com a ‘companheira Dilma’ e comentou, como todos os petista vem discorrendo, que o agora presidente interino Michel Temer (PMDB), tem além da ‘não legitimidade’ para governar, o pior de representar o lado e uma agenda anti-social, que derruba todas as conquistas históricas e acima de tudo da última década no Brasil.

“O Temer representa ou traz de volta todo um espectro de um lado só, de uma classe dominante, que já domina naturalmente, mas vinha sendo estabilizada ou moldada nos úlrimos anos, para promovermos um País no mínimo menos injusto ou que é voltado somente para eles. O Temer, os peemedebistas, voltam ou trazem com eles uma agenda anti-social, contra os menos favorecidos ou de uma forma em geral contra todos os brasileiros, que fora os poucos graúdos, precisam, dependem ou tem que suportar a carga publica dos governos, direta ou indiretamente. Eles passaram a caminhar junto conosco e pareciam ter se voltado, mesmo forçadamente, minimamente, aos interesses da maior parte dos brasileiros, a classe popular e media, mas não suportaram ver essas classes estarem já alcançado eles, em muitos casos, lado a lado ou até já tendo gente passando pro topo da pirâmide”, disse Alex, se lamentando e lembrando de todas as qualidades e feitos por Dilma e Lula nos últimos anos.

Alex afirma que o PT nunca fez e não fará nenhum golpe, como muito menos promoverá o caos no Brasil, como aprontaram para Dilma, o partido e toda a nação, acima de tudo aos movimentos sociais, classe da esquerda e trabalhadora do País. “O PT não vai promover o caos, não somos, não queremos e não vamos fazer como eles, to quanto pior melhor. Mas nós vamos trabalhar, lutar, estar ao lado do povo e de sua luta, dos movimentos organizados para não perdemos tudo de bom, que ainda até faltava, mas foi conquistado no campo trabalhista, social e mesmo econômico dos brasileiros. Não é só a Dilma que perdeu um mandato legitimo, mas o povo, todo cidadão que vai ver e sentir com as medidas dos que entraram lá hoje”, disse.

“A situação que veremos, vai ser o que combatemos nos últimos anos para entrar no governo e continuamos a duras penas para derrubar barreiras e fazer se concretizar. Mas estaremos atentos e vamos tentar mostrar e barrar o interesse de um pequeno grupo ou até nem grupo, de poucas pessoas da pirâmide social da pontinha de cima ante a nossa sociedade tão grande, complexa e plural Brasil, mas de grande maioria de povo simples, que não quer usurpar nada de ninguém que tem muito, mas quer um pouco ou viver melhor dignamente com seu sustento e com algum bem social, além deu caráter e trabalho digno diário”, completou Alex.

Processo no Senado

A presidenta Dilma Roussef foi afastada do cargo da Presidência da República por 180 dias no inicio da manhã desta quinta-feira (12) pelo Senado Federal. A ação e o resultado proclamado ocorreu por volta das 6 horas de hoje, vindo de sessão especial do Legislativo iniciada na manhã de ontem. A presidenta foi notificada do afastamento as 11 horas e saiu do Palácio do Planalto.

Com a abertura do processo, Dilma Rousseff foi afastada do exercício do cargo por até 180 dias. A presidenta poderá apresentar defesa em até 20 dias. O vice-presidente Michel Temer assume o comando do Executivo até o encerramento da ação. A comissão pode interrogar a presidenta, que pode não comparecer ou não responder às perguntas formuladas.

Se for absolvida, Dilma Rousseff volta ao cargo e dá continuidade à sua gestão. Se for condenada, Dilma é destituída e fica inabilitada para exercer função pública por oito anos. Michel Temer, então, assume a presidência do país até o final do mandato.

Após poucas horas do resultado da votação, por 55×22, que afastou a chefe do Executivo, como era previsto e já havia sido anunciado, até devido ao decurso do processo, todos os membros da então administração petista foram exonerados dos cargos e funções.

O vice-presidente Michel Temer, agora presidente interino, assumiu por volta das 11h30 de hoje, o comando do Executivo até o fim do processo que deve se encerrar no mês de novembro.

Comentários

comentários