Próximo à marca de Romário, Neymar diz que ‘Seleção não é de um cara só’

Foram apenas 55 minutos nos dois amistosos disputados pela Seleção nos Estados Unidos, contra a Costa Rica e os donos da casa. O suficiente para o atacante Neymar marcar duas vezes com a amarelinha.

Após 67 jogos pelo Brasil, o jogador marcou 46 gols, ficando a dez de Romário, o quarto maior goleador da história da equipe nacional.

A cada partida, Neymar vai fazendo história na seleção brasileira (Foto: MoWA Press)
A cada partida, Neymar vai fazendo história na seleção brasileira (Foto: MoWA Press)

E o camisa 10 não para de bater recordes e de se aproximar de marcas cada vez mais impressionantes defendendo o time brasileiro.

– A seleção sempre teve muitos jogadores de qualidade. Nunca foi de um cara só. Dou os parabéns a todos os jogadores que estão jogando muito bem e representaram o Brasil muito bem nesses dois amistosos.

Pelé é o líder de artilheiros, com 95 gols. Mas se depender do retrospecto de Neymar, a marca do Rei do Futebol tem tudo para ser quebrada em 2020, quando o craque estiver com 28 anos.

E o técnico Dunga acredita que o jogado poderá atingir tal feito e vai além:

– Ele vai bater o recorde de gols. Assino aqui e aposto com qualquer um, mas quero fazer uma aposta diferente com ele. Para ser campeão do mundo. Vai bater Pelé – disse em entrevista recente ao Sportv.

Com apenas 23 anos, Neymar alcançou a marca de 46 gols. Na mesma idade, os outros jogadores que estão à frente dele na lista de maiores goleadores da história da Seleção passaram longe desse feito.

Zico, por exemplo, não havia balançado a rede quando tinha a mesma faixa do craque do Barcelona e do time nacional.

– Estou aqui para ajudar. O meu negócio é estar em campo, marcando os gols e ajudando. Quero sempre estar à disposição do meu treinador.

Para os dois primeiros jogos das eliminatórias, contra Chile, no dia 8 de outubro, em Santiago, e diante da Venezuela, no dia 13, em Fortaleza, Neymar estará fora da Seleção.

Suspenso pela Conmebol, o atleta não poderá participar dos amistosos. Apesar disso, a CBF entrou com recurso no TAS (Tribunal Arbitral do Esporte) e ainda aguarda uma resposta até a convocação, no dia 17 de setembro.

– Estou aí. Torcendo para que eu possa jogar. Tem pessoas que trabalham nisso e podem tentar diminuir alguma coisa. Tomara que eles possam mudar essa pena e eu possa ajudar a Seleção.

Caso não possa entrar em campo, Neymar crê que Dunga tenha encontrado o substituto ideal para o início das eliminatórias.

– A Seleção tem grandes jogadores que podem suprir qualquer ausência. O Douglas Costa vem jogando bem não só no clube, mas na Seleção. Ao lado do Marcelo, ele tem jogado bem e espero que ele continue assim.

Na conversa com os jornalistas, Neymar também revelou para quem foi a comemoração simulando uma gravidez e o dedo polegar na boca.

– Foi para o Bernardo. É o filho de um amigão meu que nasceu tem poucos dias – contou o jogador, referindo ao filho do amigo Guilherme Pitta.

O jogador ainda falou do retrospecto recente da Seleção. Com Dunga, o Brasil jogou 16 vezes, venceu 14, perdeu uma e empatou outra.

A única derrota aconteceu na Copa América, na fase de grupos, para a Colômbia (1 a 0). Foi a mesma partida em que o craque acabou expulso e, posteriormente, suspenso pela Conmebol com quatro partidas.

– Quando tem um resultado que não é o que buscamos, de derrota, acaba encobrindo algumas qualidades. É uma seleção que precisa ser bem trabalhada, ter mais afinidade um com outro e tem muita coisa boa nessa seleção.

Por fim, Neymar vibrou com o primeiro gol da Rafael Alcântara pela Seleção. O jogador é seu companheiro no Barcelona e foi chamado por Dunga pela primeira vez para defender a equipe principal.

– Espero que seja o primeiro de muitos.

globoesporte.com

Comentários

comentários