Programação do 12º Festival América do Sul Pantanal prestigia músicos regionais

A Secretaria de Estado de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação(SECTEI)lançou ontem(06), a programação do 12º Festival América do Sul Pantanal, que acontece em Corumbá de 20 a 22 de agosto. Nesta edição o festival irá homenagear duas personalidades, o poeta chileno de 101 anos Nicanor Parra e o musico de Blues que propagou o ritmo no Estado por todo o Brasil, Renato Fernandes que faleceu este ano.

(Foto: Paulo Francis)
(Foto: Paulo Francis)

Segundo o secretário, Athayde Nery, este ano o evento estará em sintonia com os cidadãos corumbaenses, ladarenses e bolivianos e pretende retomar a integração cultural com os países sul-americanos de fora mais intensa. “Nos fizemos o envolvimento de Corumbá, da prefeitura, do trem de turismo, dos artistas, fizemos duas audiências publicas e isso permitiu que nos fizéssemos um festival mais enxuto mas que guardasse toda a relação do que representa Corumbá, Ladário, Bolívia, e o rio Paraguay como uma artéria que deságua em 5 países. Tanto que o nome America do Sul Pantanal foi uma decisão apresentada pelo Prefeito Paulo Duarte em uma audiência publica que fizemos”, conta.

Athayde ressalta que o festival contará com a participação de 470 artistas, sendo 399 aqui de Mato Grosso do Sul, 298 são de Corumbá e 43 artistas nacionais. Haverá 108 atrações, sendo 28 da America do Sul e um total de 9 países envolvidos nas atividades, sendo eles Brasil, Bolívia, Paraguay, Argentina, Uruguay, Peru, Colômbia, Equador e Venezuela.

No primeiro dia de festival se apresentarão o Grupo Generacion, do Paraguai, Grupo Acaba, de Mato Grosso do Sul, além de apresentações de artistas de Corumbá e do Grupo Tambores do Tocantins. No segundo dia, se apresentam o harpista Leonard Jacome, da Venezuela, Geraldo Espíndola e Marcelo Loureiro, do estado, e o cantor Almir Sater.No último dia se apresentam Duo Moinho Cultural, Orquestra de Viola Caipira do Sesc, Omar Camino, do Peru, e Falamansa, do Brasil.

O secretário conta que no festival, além de toda a programação cultural, haverá também um seminário internacional de economia criativa e inovação. ” Faremos um festival que carrega o respeito a e tradição e que cumpre com um politica de estado e valorização do nosso ecossistema”, finaliza.

Paulo Francis

Comentários

comentários