Professores vão retomar greve e ano letivo só vai terminar em 2016

Depois de 15 dias de férias, os professores aprovaram, em assembleia geral na manhã de hoje (27), retomar a greve nas escolas municipais de Campo Grande. As aulas do segundo semestre letivo começam nesta terça-feira. Eles rejeitaram a nova proposta da prefeitura, que previa reajuste de 8,5% em 10 vezes e condicionava o aumento à redução no gasto com pessoal. “Isso não é negociação, é como se fosse comprar um automóvel na concessionária e o comprador falasse que iria pagar em 10 vezes quando tivesse o dinheiro.E lógico que a loja não iria liberar o veículo”, comparou o presidente da ACP Sindicato Campo-Grandense de Ensino, Geraldo Gonçalves.

 Em assembleia geral na manhã desta segunda-feira (27), os professores decidiram manter a greve
Em assembleia geral na manhã desta segunda-feira (27), os professores decidiram manter a greve

A greve Reme (Rede Municipal de Ensino) que começou no dia 27 de maio por reajuste salarial e cumprimento do piso da categoria teve uma “pausa” . A suspensão ocorreu porque os professores não poderiam manter a greve durante as férias de 15 dias do mês de julho. Como as aulas retornam amanhã, os docentes decidiram retomar a greve.

O presidente da ACP informa que amanhã (28), os professores vão se reunir com representantes da SEMED pela manhã e a tarde farão uma panfletagem na área central da cidade. “Na quanta-feira de manhã vamos continuar com a panfletagem no centro e à tarde vamos levar um bolo até a prefeitura para comemorarmos os dois meses de greve”, informou Gonçalves.

Na quinta-feira os professores vão realizar a ” Virada da Educação” que vai acontecer na sede da ACP das 8 horas até meia-noite. Este evento será marcado por palestras de temas ligados a educação, destinadas aos professores, alunos maiores de idade e aos país. “Ainda não definimos os palestrantes, mas quem tiver conhecimento sobre o tema pode se inscrever na secretaria da ACP”, diz Gonçalves.

Na sexta-feira uma comissão da ACP realiza visitas as escolas da Capital, e no período da tarde as 14 horas será realizada um Assembléia Geral extraordinária para retomar o debate. “Queremos saber qual é a intenção do novo secretário de Educação”, cobrou o sindicalista se referindo ao secretário Marcelo Salomão que tomou posse no dia 13 de julho.

Na assembleia realizada na manhã de hoje, houve bastante divergência entre os professores, muitos queriam a volta ao trabalho, mas a maioria votou pela continuação da paralisação..

O número certo de escolas paradas antes das férias era divergente. Enquanto a prefeitura dizia que apenas quatro escolas estavam sem aula, o sindicato falava em um número maior..

ANO ESCOLAR

Se as aulas voltassem amanhã, o calendário escolar deveria se estender até a primeira quinzena de dezembro, com a introdução do 5º tempo e aulas aos sábados.
Como a paralisação vai continuar, a tendência é que o ano letivo de 2015 só termine no ano que vem.

Comentários

comentários