Professores rejeitam proposta da prefeitura e greve continua

Os professores da rede municipal de ensino rejeitaram, em assembleia geral na tarde desta terça-feira (26), a proposta apresentada pela prefeitura e a greve está mantida por tempo indeterminado.

26ACP
Em assembleia, professores rejeitaram proposta da Prefeitura

Todos os professores que usaram a tribuna argumentaram que a proposta desconsidera a reivindicação da categoria que se resume ao cumprimento da lei do piso salarial e não um simples reajuste.

“Essa proposta nos ofende porque simplesmente omite a existência da nossa lei municipal 5.411, que determina a equiparação do nosso piso por 20h ao valor do piso nacional. Além do mais ela não traz nada de concreto, não muda nada. Isso é inadmissível”, analisou o professor Ataíde Oliveira.

A proposta encaminhada pela prefeitura à categoria foi de “repasse da inflação do período a partir de outubro de 2015, condicionado ao ajustamento do índice à Lei de Responsabilidade Fiscal , desde que na data do reajuste o índice esteja abaixo do limite prudencial de 51,3% e que o aumento não ultrapasse o referido limite”.

Os professores reivindicam o cumprimento do piso nacional, que hoje é de R$ 1.917,78 para jornada de 40 horas semanais.

Ao todo, 100 mil alunos estão sem aula desde que a greve teve início na segunda-feira (25).

Comentários

comentários