Professores mantem greve e prometem acampar na prefeitura

Oito mil professores estão em greve há 17 dias.
Oito mil professores estão em greve há 17 dias.

Em assembleia as 16h de hoje (11) na sede do Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação (ACP) os professores da Rede Municipal de Ensino (REME) decidiram por acampar em frente ao paço municipal a partir de segunda-feira (15).

A medida é uma reação já que o Prefeito Gilmar Olarte não aceitou a contra proposta de reajuste que os professores reivindicam para equipararem seu salário ao piso nacional. Os professores alegam que Olarte tem distorcido a Lei de Responsabilidade Fiscal para não conceder o reajuste previsto pela lei municipal 5.411/14 e Lei federal 11.738/08.

“A Lei de Responsabilidade Fiscal prevê que ele não pode dar novos reajustes mas ela não desobriga o gestor de cumprir uma Lei”, explica o professor João Alisson da Silva. Segundo ele a diferença entre o valor que a categoria pede (13,1%) e o que a Prefeitura que dar (8,5%) é pequena e só se refere a inflação. Além disso se aceitarem a oferta e desobrigarem Olarte de cumprir a Lei a situação poderá se repetir em outras gestões.

Em greve há 17 dias os professores consideram que a luta não é uma questão pontual e seu resultado deve refletir na sociedade. Durante a assembleia os professores disseram que a proposta é um xingamento a classe e que a Prefeitura insiste que eles saiam perdendo, “estão contando com nosso fracasso”, disse o professor Giovano Vronzoni em discurso.

Durante a reunião os professores levantaram as cédulas de votação de costas para a mesa diretora em repúdio a proposta de Olarte.

Nesta sexta-feira (12) os professores realizam um protesto em frente a Prefeitura a partir das 7h30 da manhã e panfletagem no centro durante o período da tarde. No sábado haverá um panelaço em frente a escola Carlos Vilhalva Cristaldo durante todo o dia.

Luana Campos

 

 

 

Comentários

comentários