Professores ficam sem resposta e greve nas escolas municipais continua

Os professores da rede municipal de ensino ficaram sem resposta da prefeitura para o acordo sugerido pela categoria, de 13,01% dividido em 7 parcelas, por conta do não comparecimento do Prefeito Gilmar Olarte na assembleia realizada as 15h de hoje (9) na sede do Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública (ACP).

Depois de rejeitarem a proposta de 8,5% dividida em 6 meses feita pela prefeitura na manhã desta terça-feira (9), os professores entregaram a contra-proposta ao secretário de administração e educação, Wilson do Prado e ao secretário adjunto de planejamento e finanças, Ivan Jorge para que fosse avaliada e uma resposta fosse encaminhada na assembleia durante a tarde. No entanto, Olarte alegou que estaria em outro compromisso.

“Nós só queremos o cumprimento da lei 5.411”, alega Geraldo Gonçalves, presidente da ACP. Segundo ele a categoria é flexível e está disposta a um acordo mas vai manter suas atividades paralisadas.

Professora há mais de 40 anos, Terezinha Espozito acredita que as propostas apresentadas são sofríveis e que a atitude de Olarte é um desrespeito com a classe, “a nossa luta é sofrida e agora parece que emperrou, nós entendemos o lado da Prefeitura, mas essa bomba não pode estourar no trabalhador”.

Durante a reunião os professores deram-se as mão e fizeram orações pela educação com o intuito de que o prefeito seja sensibilizado.

Uma nova assembleia foi convocada para a tarde desta quarta-feira (10).

Luana Campos

 

 

 

Comentários

comentários