Professores de Campo Grande aderem à Greve Geral Nacional e escolas param nesta sexta-feira

Os trabalhadores em educação das redes estadual e municipal de ensino de Campo Grande realizam paralisação nesta sexta-feira, 11 de novembro. Na Capital, a ACP (Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação Pública) organiza o Show Protesto, em parceria com a Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul). Trabalhadores de diversos segmentos do serviço público e iniciativa privada também participam do ato que acontece a partir das 8h, na Praça do Rádio Clube.

greve-geral_11-11

A ação faz parte da Greve Geral Nacional organizada em todo o país pelas Centrais Sindicais contra a PEC 241, atual PEC 55 (tramitando no Senado) e demais medidas que atacam os direitos da população brasileira como a terceirização, a Lei da Mordaça, o PLP 257, o PL 4567, a reforma da Previdência, a reforma do Ensino Médio, a flexibilização do contrato de trabalho, a prevalência do negociado sobre o legislado, e em defesa da lei do piso.

“Estamos diante de um dos ataques mais graves aos direitos dos trabalhadores desse país. A PEC 55 vai promover o sucateamento da educação pública, além de precarizar o serviço público de modo geral. Ela ataca em cheio todos os direitos profissionais que conquistamos com muita luta. E não é só essa medida, a população brasileira está sofrendo com o “ataque bárbaro” do governo Federal, que tenta desorientar a sociedade civil organizada para minar a resistência. Não podemos deixar isso acontecer e ficarmos inertes. Nós estamos mobilizados desde o início e seguimos até a greve geral”, conclamou o presidente da ACP, Lucílio Souza Nobre.

Durante o ato na praça do Rádio Clube, haverá apresentação teatral com o Grupo Imaginário Maracangalha, show tributo a Raul Seixas com a banda Moscas de Bar, discursos e panfletagem a fim de esclarecer a população sobre os malefícios que tais medidas provocam.

Comentários

comentários