Professor morre de H1N1 na Capital; número de mortes chega a 19 no Estado

Um professor da Rede Estadual de Ensino morreu no último domingo (15), na Santa Casa de Campo Grande. Edevaldo Souza Prado, 57 anos, foi diagnosticado com H1N1. A causa da morte foi divulgada nesta quarta-feira (18).

Segundo informações da Secretaria de Estado de Saúde, até o momento seis pessoas já morreram em Campo Grande em decorrência da H1N1. No Estado, o número de mortos já chega a 19. No ano passado, a secretaria registrou apenas uma morte causada pelo vírus Influenza A.

Professor estava internado na Santa Casa. Foto: Deurico Brandão
Professor estava internado na Santa Casa. Foto: Deurico Brandão

A cidade de Naviraí, distante a 358 quilômetros de Campo Grande, é a segunda cidade do Estado com maior número de óbitos por H1N1, com quatro mortes registradas. Para evitar que o vírus se espalhe, as férias escolares das redes estaduais e municipais foram adiantadas.

Hoje, o campus da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) da cidade também informou que as aulas estão suspensas por causa do vírus. As atividades acadêmicas estão previstas para retornar no dia 2 de junho.

De acordo com o prefeito de Naviraí, Leandro Peres de Matos, o momento é pensar no bem estar da população e de evitar uma epidemia do vírus H1N1. “Depois de ouvir vários pais, alunos, professores, entre outros trabalhadores da educação, decidimos suspender as aulas”.

Comentários

comentários