Primeiro dia de greve com pouco movimento nos bancos

Apenas canais de atendimento alternativos estão em funcionamento. (Foto: Paulo Francis)
Apenas canais de atendimento alternativos estão em funcionamento. (Foto: Paulo Francis)

O primeiro dia de greve ocorreu de forma tranquila em Campo Grande, pois mesmo com o atendimento dos bancos suspenso por tempo indeterminado os clientes puderam fazer suas transações como saques, transferências e outras operações por canais alternativos de atendimento, como caixas eletrônicos.

Nesta terça-feira menos 50% da categoria aderiu a paralisação, conforme informação divulgada do Sindicato dos Bancários de Campo Grande, MS e região (SEEB). Segundo o presidente da SEEB, Edvaldo Barros, das 120 agências de Capital, 51 aderiram à greve, além de outras 12 no interior.

Todas as agências amanheceram com cartazes informando sobre a greve, e a orientação do Sindicato dos Bancários é procurar os terminais de autoatendimento.

Uma outra opção é o serviço internet banking, aplicativos no celular (mobile banking), contato por telefone, além de casas lotéricas, agências dos Correios, redes de supermercados e outros estabelecimentos credenciados.

Em algumas agencias bancarias, como a do Banco do Brasil, localizada na esquina da Avenida Afonso Pena com 13 de Maio, os gerentes estão atendendo apenas clientes que tenham pendencias, como assinaturas de contratos ou em casos extremos de segurança.

O pecuarista Marcelo Vilela, 51 anos, que saia de uma agencia do Banco do Brasil da rua Maracaju, alega que conseguiu fazer todos os serviços pelo caixa eletrônico, e não se vê muito prejudicado com a greve por enquanto. A unica reclamação do pecuarista é em relação aos saques, pois a questão do valor ser limitado atrapalha um pouco, alega.

Para o professor Marcelo Alves, 48 anos, as suas necessidades também foram atendidas, contou ao Página Brazil que fez todas suas transações pelo auto atendimento, e diz que a greve não o afetou em nada.

Mulher se indiguina ao ver cartaz de greve em agência.(Foto: Paulo Francis)
Mulher se indiguina ao ver cartaz de greve em agência.(Foto: Paulo Francis)

Uma outra mulher, que preferiu não se identificar ficou um tanto quanto chateada ao visualizar os cartazes de greve na agencia do Bradesco, da Avenida Afonso Pena. Ela nem quis falar com a equipe de reportagem no momento, porem depois percebeu que os caixas eletrônicos estavam funcionando e entrou no banco para fazer suas transações.

Bancários e representantes do sindicato permanecem em frente a algumas agencias orientando a população. (Foto: Paulo Francis)
Bancários e representantes do sindicato permanecem em frente a algumas agencias orientando a população. (Foto: Paulo Francis)

A bancaria e representante do sindicato, Eleni Souza, 39 anos, que estava junto com outros dois colegas de profissão em frente a uma agencia do Itau, na Afonso Pena, conta que diversos representantes estão nas agencias com o intuito de orientar a população sobre quais são os motivos da greve. Em algumas agencias eles chegam a ficar das 8 às 18h no local.

Eleni ressalta que categoria luta por melhorias no salario, são contrários a terceirização, entre outras reivindicações, e portanto até o momento não há data prevista para a greve terminar.

Paulo Francis

Comentários

comentários