Presidente nacional do PRB defende pacto federativo que não seja ‘de Brasília para Brasília’

Em entrevista ao programa Tribuna Livre, da Capital FM, e ao portal Página Brazil o presidente nacional do PRB (Partido Republicano Brasileiro), Marcos Pereira, defendeu o resgate da credibilidade da classe política, através de líderes que coloquem o interesse público acima dos interesses pessoais.

Pereira disse que espera que o PRB – que completa 10 anos em 2015, e conta hoje com 21 deputados federais, um distrital e 31 estaduais e um ministério – pretende crescer em Mato Grosso do Sul e que nos próximos meses a legenda discutirá quais serão os municípios em que o partido disputará as eleições com chances reais, analisando inclusive a possibilidade em Campo Grande.

O presidente do PRB declarou ainda que uma das bandeiras do partido é “um pacto federativo que valorize municípios e estados e que não seja de Brasília para Brasília”, como o defendido pelo governo federal. Sobre esse posicionamento, como presidente de um partido que integra à base de apoio do governo federal, Pereira afirmou que “o PRB apoia o governo, mas não é subserviente” e que a legenda “precisa ser mais ouvida” pelo governo federal.

Para a pergunta: “Como Mato Grosso do Sul – onde o PT (Partido dos Trabalhadores) não venceu a disputa para presidência, nem para o governo do Estado – pode reverter as perdas de recursos registrados depois das eleições do ano passado?” Pereira respondeu: “não creio que MS tenha dificuldades em um momento em que o senador Delcídio do Amaral (PT) passa a ocupar uma posição importante de liderança do governo em Brasília”, mas destacou que “por isso mesmo defendo que se firme um pacto federativo que garanta que questões partidárias eventualmente não tenham mais o mesmo peso do que as necessidades regionais dos estados e munícipios”, ponderou.

O presidente do PRB visita Campo Grande para a posse do novo presidente estadual do partido, Wilton Acosta.

Silvio Ferreira

Comentários

comentários