Presidente da Câmara classifica como ‘coerente’ decisão do desembargador

O presidente interino da Câmara Municipal, Flávio César (PTdoB) classificou como “coerente a decisão de não acatar o pedido de afastamento dos vereadores investigados pela Operação Coffee Break, do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual (MPE).

O presidente interino da Câmara Municipal, Flávio César (PTdoB)
O presidente interino da Câmara Municipal, Flávio César (PTdoB)

O presidente chegou a ler parte do despacho do desembargador Luís Cláudio Bonassim, que considerou que as informações relativas ao pedido de afastamento dos vereadores feito pelo Gaeco, em um processo que corre em segredo de Justiça, obviamente vazaram para a imprensa a partir do próprio Ministério Público Estadual, antes mesmo que o magistrado tivesse analisado o pedido, com o intuito de tornar o evento “bombástico”. 

Ainda remetendo-se à decisão do desembargador que indeferiu o pedido do MPE pelo afastamento dos vereadores, Flávio César citou a consideração do desembargador no despacho, que entendeu que a manutenção dos vereadores investigados em suas atribuições não comprometem o andamento das investigaçóes”.

Flávio César não quis comentar a ordem de prisão do prefeito afastado, Gilmar Olarte (PP) e do empresário João Alberto Amorim dos Santos, decretada pelo mesmo desembargador.

Silvio Ferreira

Comentários

comentários