Prefeitura e MPT vão oficializar projeto para construção de parquinhos na Capital

Da Redação/JP

A Prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria de Governo, esteve na tarde desta quinta-feira (29) no Ministério Público do Trabalho para ajustar detalhes de uma parceria entre as entidades para a construção de parquinhos infantis nos bairros mais carentes da Capital.

A parceria prevê que a prefeitura indique as associações de bairros que irão receber o beneficio e auxilie na construção dos parquinhos, com orientação técnica e disponibilização de mão de obra. Já o MPT irá destinar os recursos necessários que são oriundos de multas por danos morais coletivos.

A prefeitura apresentou um projeto completo ao MPT, mostrando a importância da construção dos parquinhos e os bairros, que hoje, teriam prioridade no recebimento do beneficio.

“Vamos fazer um levantamento de quais são as associações, os bairros, dentro do mapa que já temos das necessidades, para receber primeiramente este recurso. Com isso, assim que sair e o MPT nos avisar, já temos os locais que precisam da obra”, disse o secretário de Governo, Antonio Cezar Lacerda.

O procurador-chefe do MPT, Hiran Sebastião Meneghelli, explicou que o recurso vem de multas trabalhistas e por isso não há como prever quanto e nem quando virá. Entretanto, com o projeto fechado, assim que houver o recurso ele pode destiná-lo. “O projeto apresentado pela prefeitura está muito bonito, muito bem feito. Assim que eu tiver o recurso, entro em contato e vocês indicam onde vai ser destinado”, disse.

Os parquinhos

A ideia é levar para os bairros um parquinho completo, com casinha do Tarzan, balanço, escorregador, escada de acesso, escada de cordas, entre outros equipamentos.

Segundo a arquiteta Maria Carolina Filartiga, autora do projeto, a proposta é um playground com base em areia, gramado em volta para a área de contemplação dos pais, alambrado para proteção e o próprio equipamento. Isso com bancos, lixeiras. Tudo está dentro do orçamento.

“São três tipos de parquinhos construídos em módulos. O módulo 1 tem 6 unidades de equipamentos de lazer em 128 m², o módulo 2 tem 12 unidades em 168 m² e o módulo 3 tem 24 unidades em 233 m² de construção”, apontou.

Para finalizar, o procurador frisou que esse tipo de política é necessária e que as famílias vão se sentir muito agradecidas. “Vai ter um impacto na vida delas muito grande. E ao mesmo tempo a gente leva uma mensagem nossa, que é a que criança tem que brincar e estudar, trabalhar não”, concluiu.

Comentários

comentários