Prefeito acredita que Comissão Processante não será criada

Nesta terça-feira(02), o legislativo vota o pedido da oposição para instaurar o processo que pode levar à cassação do mandato do prefeito Gilmar Olarte. O presidente do legislativo municipal, Mario Cesar, do PMDB, deve ler o parecer da Procuradoria Jurídica durante na abertura da sessão..

Olarte durante inauguração de instalações do Sesc Saúde, no Bairro Alto do Sumaré nesta ter-feira
Olarte durante inauguração de instalações do Sesc Saúde, no Bairro Alto do Sumaré nesta terça- feira

O processo de investigação foi protocolado no dia 19 de maio pelos vereadores Luiza Ribeiro (PPS), e Thais Helena e Marcos Alex, ambos do PT. Segundo os vereadores, os motivos que levaram a instauração do processo foram a falta de divulgação do balanço financeiro do município, viagem de jatinho do empreiteiro João Amorin para Brasília, o não cumprimento da LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal) pelo excesso do teto de pagamento dos servidores, lavagem de dinheiro e tráfico de influência referente à investigação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).

Para que a Comissão Processante seja aberta são necessários de 15 a 20 votos para a votação do parecer, que serve como petição inicial para o nascimento da Processante que pode resultar na cassação do mandato de prefeito.

Fragilidade

O prefeito Gilmar Olarte (PP), acredita que as fundamentações frágeis que sustentam o pedido de abertura de Comissão Processante impedirão sua criação.

Gilmar Olarte afirmou que continua o diálogo com os vereadores e, acredita que a adoção de posicionamento independente de alguns parlamentares ocorreu “no momento lá atrás, de falta de diálogo”.

Paulo Francis

Comentários

comentários