Preço dos alimentos e das bebidas pressionam inflação de novembro

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em Campo Grande variou 1,29% em novembro, o segundo maior índice entre as 13 capitais pesquisadas do país. A inflação oficial foi divulgada nesta quarta-feira (09), pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). No ano, o IPCA chega a 8,96%.

9IPCA

Os dados mostram que o índice de novembro foi mais alto que o de outubro (1,18%), e maior que a média nacional (1,01%). No ano, a inflação acumulada chega a 8,96% e em 12 meses a 10,14%, ambas bem acima do teto da meta estabelecido pelo CMN (Conselho Monetário Nacional), que é de 6,5%.

Porém, os índices de ano e 12 meses de Campo Grande estão abaixo da média brasileira, que é de 9,62% e 10,48%, respectivamente. A alta da inflação significa, na prática, quanto custa viver em cada estado e no país, quanto maior o índice, maior o custo de vida.

A alta nos preços dos alimentos e bebidas (2,78%) tiveram maior influência no resultado para novembro. Em seguida aparece o grupo vestuário (1,64%), comunicação (1,33%) e transportes (1,23%).

O IBGE destaca a alta no preço da gasolina como um dos principais impactos no orçamento familiar O preço do combustível passou a custar em torno de R$ 3,50 o litro, subindo quase R$ 0,20 referente ao cobrado um mês antes

Outro aumento considerável no mês passado, foi o transporte público que pesou com mais incidência no bolso dos consumidores. Em Campo Grande, o preço da tarifa subiu 8,33% passando a custar R$ 3,25.

Comentários

comentários