Preço do passe de ônibus para 2017 será definido em novembro

A Agência de Regulação dos Serviços Públicos do Município (Agereg) já iniciou os estudos sobre a tarifa de transporte coletivo urbano de Campo Grande. O relatório que ajudará a definir a passagem de ônibus praticada na Capital deve ficar pronto em novembro. Hoje os valores são R$ 3,25, nas linhas convencionais, e R$ 3,95, nas executivas, preços que começaram a vigorar em 19 de novembro de 2015.

Usuário desembolsa R$ 3,25 para entrar em ônibus de Campo Grande
Usuário desembolsa R$ 3,25 para entrar em ônibus de Campo Grande

Nestes estudos, a Agereg normalmente leva em conta itens como preços dos combustíveis, manutenção da frota e salários de motoristas. Pelo contrato de prestação de serviços, as empresas concessionárias do transporte público têm direto à revisão tarifária com base no Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) dos últimos 12 meses, conforme a assessoria de imprensa do Consórcio Guaicurus.

Esse consórcio reúne as empresas que exploram o serviço de transporte, sendo Cidade Morena, São Francisco e Jaguar Transporte Urbano. A assessoria informou ainda as empresas não fizeram qualquer proposta de reajuste e que entregam todos os meses a planilha de custos para a Agereg.

Ainda de acordo com a assessoria, pelo contrato, a revisão tarifária deveria ocorrer no mês de novembro, mas cabe ao prefeito decidir quando ela entrará em vigor. A expectativa é de que, mesmo com o relatório pronto em novembro, um novo valor comece a vigorar em janeiro de 2017.

O Consórcio atende a Capital com frota aproximada de 590 ônibus para transportar cerca 200 mil passageiros diariamente.

De 2010 para 2015, a passagem de ônibus em Campo Grande subiu 30% – de R$ 2,50 para R$ 3,25. Nestes cinco anos, o maior aumento aconteceu em 2014, quando o passe foi de R$ 2,75 para R$ 3,00 – acréscimo de 11%.

Em 2013, a tarifa sofreu duas reduções. Em fevereiro, quando o governo federal isentou as empresas de ônibus do PIS e Confins, impostos trabalhistas, a passagem passou de R$ 2,85 para R$ 2,75 em fevereiro.

Em novembro, caiu para R$ 2,70, quando a Prefeitura da Capital abriu mão do ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) – conforme consta na lei complementar municipal nº 220, de 8 de novembro de 2013, publicada no Diário Oficial de 11 de novembro daquele ano.

Comentários

comentários