Postos de Saúde ganharão “Agentes do Bem” para ajudar no acolhimento de pacientes

Prefeito 'empossa' representante do grupo "Posso Ajudar" (Fotos: Lúcio Borges)
Prefeito ‘empossa’ representante do grupo “Posso Ajudar” (Fotos: Lúcio Borges)

O prefeito Alcides Bernal lançou na manhã desta sexta-feira (18), o Projeto Posso Ajudar, que em parceria com Universidades de Campo Grande disponibilizará acadêmicos para prestar serviço de acolhimento em Unidades de Saúde da Capital. O chefe do executivo de forma simbólica empossou uma representante do primeiro grupo, que será de 45 universitários para iniciar a ação. Ao todo serão 400 alunos que receberão uma bolsa de participação incentivada no serviço que terá um recurso de R$ 1,5 milhão de investimentos por meio da Sesau (Secretária municipal de Saúde). O titular da pasta, Ivandro Fonseca, destacou que o “Posso Ajudar” é mais um projeto inédito da prefeitura e do Brasil, que visa melhorar o atendimento nos Postos já na parte de acolhida, informação e contato humanizado com os pacientes.

Fonseca apontou que o “Posso Ajudar” é uma parceria com todas as universidades do município para integrar o ensino a pratica e em especial ao serviço público. “Pensamos no projeto como processo de desenvolver a teoria na pratica e de humanização para os cursos, como para nossa parte, de um aperfeiçoamento ou lançamento direto da humanização e atenção primeiramente para com nossos pacientes. Serão os ‘agentes do bem’ que farão uma integração das atividades de ensino ao serviço e a comunidade, nas unidades de Saúde. Posos Ajudar3Teremos a participação ou mesmo a ação será dos acadêmicos como agentes acolhedores em um trabalho universitário-governamental para atingir e beneficiar a população”, explicou o titular da Sesau.

O prefeito destacou que quem entrar tem que ter o compromisso intenso de saber ajudar ou ter como convicção pessoal para uma atenção especial ao próximo. “As pessoas sempre em primeiro lugar, para buscarmos soluções e melhorar já a recepção dos pacientes que chegam fragilizados e se já tiver um sorriso na entrada, tem uma recarga de animo e na pratica ser ajudado desde sua entrada em cada Unidade de Saúde. Pensamos na ação para contribuir em duas pontas. A do aperfeiçoamento ou mudança de contato e comportamento entre a população e os servidores, e, na ajuda ao sistema acadêmico em ter ‘aula pratica’, onde acadêmicos terão o contato para humanizar o seu conhecimento universitário e humanizar o ambiente”, disse Bernal.

Posos AjudarBernal, ainda destacou ou pediu aos participantes que façam jus a oportunidade, tanto para aprenderem, como para ‘ensinarem’ e contribuírem com a ação. “Serão quatro ou cinco por posto, onde que além dos escolhidos, que passarem na seleção, utilizarem sua gama de conhecimento pessoal e da universidade, ainda terão duas semanas de treinamentos para saberem da realidade. Então tudo é um investimento em cada um e para ser prestado a população, nossos cidadãos e contribuintes, o meio e fim do atendimento. Todos, sem exceção em todo tempo, deverão aplicar o bom acolhimento para prestarmos o serviço. Tem que ser presente, eficiente e eficaz, e não mais um decorativo no ambiente”, ressaltou.

Benefícios acadêmicos e futuros

Tanto o secretário, como o prefeito, incentivaram os participantes presentes ou mesmo como ‘divulgação positiva’ do Projeto, apontaram benefícios para os acadêmicos. “Além dos créditos para a faculdade, da bolsa para prestar o serviço, que é um trabalho, os selecionados podem continuar como servidores. E já vamos colocar para futuros concursos do município que aqueles que participaram do projeto serão referência e poderão ter pontos como prova de titulo”, apontaram.

Matéria: Lúcio Borges

Comentários

comentários