Polícia tem pistas sobre morte de ex-vereador

A polícia diz ter pistas dos dois suspeitos de terem matado e queimado o corpo do ex-vereador Alceu Bueno (sem partido) e deixado em um terreno baldio em Campo Grande, na quarta-feira (21). Nos próximos dias, 10 testemunhas devem prestar depoimento na Garras (Delegacia Especializada Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros).

Perícia com detector de metal onde corpo foi encontrado
Perícia com detector de metal onde corpo foi encontrado

Outras cinco pessoas, entre parentes, amigos e funcionários, já foram ouvidas. O delegado Edilson dos Santos Silva, que está à frente das investigações, não descarta nenhuma hipótese sobre a morte do empresário.

“Várias vertentes. Várias linhas de investigação que a gente não vai citar para não atrapalhar as investigações, mas no decorrer do inquérito policial uma dessas linhas deverá ser seguida”, explicou Silva.

A polícia ainda analisa imagens gravadas por câmeras de segurança de um condomínio. Elas registraram o momento em que o carro de Alceu Bueno chegou ao local onde o corpo foi carbonizado. O vídeo ainda mostra o momento em que os criminosos atearam fogo.

A polícia já sabe que Alceu Bueno foi assassinado em outro lugar e levado para o terreno onde foi encontrqado. Agora apura como e de que maneira tudo ocorreu.

“Os outros laudos irão demonstrar, primeiro, a forma como ele foi achado naquele local, e a forma como ocorreu a morte dele. O laudo de exame de corpo de delito necroscópico vai nos informar se ele foi morto alvejado por disparo de arma de fogo, se foi morto com golpes de ações contundentes ou com qual foi a forma que ele veio a óbito”, afirmou o delegado.

Despedida

A família do ex-vereador procurou a polícia na última terça-feira (20) para comunicar o desaparecimento de Bueno. O corpo foi encontrado na quarta-feira e depois do reconhecimento pelas digitais, foi liberado aos familiares. O enterro foi realizado na tarde desta quinta-feira (22).

“O exame principal, que de fato identificou foi o exame de necropapiloscopia que é o exame de digital realizada em cadáveres. Esse foi o exame que firmou a identidade do senhor Alceu”, afirmou o diretor do Instituto Médico e Odontológico Legal (Imol), Carlos Barbosa.

Carbonizado

O corpo de Alceu Bueno estava junto a uma vegetação, em uma rua sem asfalto. Pessoas que passavam pelo local encontraram o cadáver e acionaram o serviço de emergência.

Junto ao corpo foram encontrados o aparelho celular de Bueno e a carteira dele com o distintivo, reconhecida pela família. Os objetos e ainda uma placa no braço colocada quando sofreu uma acidente de moto foram fundamentais para a identificação. ( C0m informações do G1)

Comentários

comentários