Polícia Federal indicia Palocci e mais cinco na Lava Jato

Pelo crime de corrupção passiva, o ex-ministro Antonio Palocci foi indiciado pela Polícia Federal, nesta segunda-feira (24). O ofício foi comunicado ao Ministério Público Federal (MPF) e ao juiz Sérgio Moro, por meio do sistema da Justiça Federal.

Os publicitários João Santana e Mônica Moura, o empreiteiro Marcelo Odebrecht, o ex-ministro Juscelino Dourado, o ex-assessor Branislav Kontic e o empresário Benedicto Barbosa da Silva Júnior também foram indiciados.

Antonio Palocci, Juscelino Antonio Dourado (o JD) e Branislav Kontic foram indiciados por corrupção passiva. O ex-presidente da empreiteira Odebrecht, Marcelo Odebrecht, foi indiciado por 16 crimes de corrupção ativa. João Santana e Mônica Moura foram indicados por ocultação de valores provenientes, direta ou indiretamente, de infração penal.

O casal de marqueteiros, João Santana e Mônica Moura, também investigados em outra ação penal, foram indiciados por lavagem de dinheiro e ocultação de bens. De acordo com o relatório da PF, os publicitários receberam cerca de 11,7 milhões de dólares em 21 parcelas na conta da Shellbil Finance S.A, valores oriundos de um esquema de corrupção entre o ex-ministro Antonio Palocci e Marcelo Odebrecht, que foram ocultados em instituições financeiras na Suíça em uma empresa offshore.

Conforme o site Paraná Portal, o relatório também aponta que o ex-ministro usou do cargo que exercia no governo para coordenar de maneira sistemática o esquema de corrupção. De acordo com a PF, ele coordenou o recebimento de propina ao casal João Santana e Mônica Moura, em dois momentos diferentes; solicitou e recebeu, via Juscelino Dourado, valores em várias parcelas; solicitou e coordenou a compra de um terreno pela empreiteira Odebrecht no qual se pretendia construir a sede de Instituto Lula; entre outros atos identificados pelos investigadores da polícia.

Comentários

comentários