Polícia faz reconstituição de morte de major da PM assassinado pela esposa

A reconstituição do crime que resultou na morte do major da Polícia Militar, Valdeni Lopes Nogueira, assassinado a tiros pela esposa e tenente-coronel, Itamara Romeira Nogueira, teve início por volta das 09h50 desta quinta-feira (18), na casa onde ocorreu os fatos, no bairro Santo Antônio. A suspeita chegou acompanhada do advogado.

Foto: Ivan Silva
Foto: Ivan Silva

Conforme o delegado Claudio Zotto, da 7ª Delegacia de Polícia Civil, a reconstituição é necessária porque o local do crime não foi preservado e não houve testemunhas. “Como Valdeni ainda estava vivo quando o socorro chegou, o local não ficou conservado. Precisamos confrontar o que Itamara disse com o momento da chegada da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, já que no momento do crime só o casal estava na residência”, explicou.

Ainda segundo informações do delegado, já foi constatado que foram disparados dois tiros, porém o corpo de Valdeni apresentava três perfurações da região lombar. A reconstituição conta com a participação de cinco policiais civis e duas equipes da perícia. Os militares que foram ao local logo após o crime e o comandante do Corpo de Bombeiros que atendeu a ocorrência também participaram da ação.

Foto: Edição de Notícias/ Reprodução Facebook

O crime

Valdeni foi baleado pela esposa no começo da noite do dia 12 de julho, durante uma briga do casal. Ele chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros, mas morreu na Santa Casa.

À polícia, Itamara alegou legítima defesa e disse que estava sendo ameaçada pelo marido. A tenente-coronel também afirmou que havia sido agredida por Valdeni em outras ocasiões.

 

 

Comentários

comentários