Polícia desarticula quadrilha que faturou R$ 70 mil com venda de DVDs e CDs piratas

A equipe da Dedfaz( Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Defraudações, Falsificações, Falimentares e Fazendários) conseguiu desarticular uma quadrilha que vinha se dedicando a pirataria de DVS e CDS em Campo Grande. O grupo comercializava não só em Campo Grande, mas recorrendo a internet, tinha clientes no país inteiro.

Casas em Campo Grande eram usadas como depósito de DVDs piratas (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)
Casas em Campo Grande eram usadas como depósito de DVDs piratas (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)

Cinco pessoas foram presas e cerca de 18 mil DVDs e CDs de filmes, jogos e música foram apreendidos durante a operação policial. A ação ocorreui na quinta-feira (14), mas só foi divulgado pela Polícia Civil nesta sexta-feira (15).

Foram apreendidos também 150 gravadores usados par fazer as cópias, além de uma bolsa adaptada para as gravações dentro das salas de cinema, impressoras, computadores, HD’s, celulares, tablets e artefatos usados para captação clandestina.

As apreensões foram feitas em casas que ficam em bairros próximos na Capital. Os imóveis eram usados como depósitos dos produtos. A polícia estima que a quadrilha tenha movimentado cerca de R$ 70 mil, mas o valor preciso dependerá da quebra do sigilo bancário do grupo, que será pedida à Justiça.

Alguns filmes ainda estavam em exibição nos cinemas. Com um dos integrantes da quadrilha a polícia encontrou uma bolsa com um furo para gravar os filmes direto das telas de cinema. O celular era colocado dentro da bolsa.

Depois, os filmes eram divulgados na internet. Segundo a polícia, a quadrilha cobrava para fornecer os arquivos para outras pessoas e podiam fazer quantas cópias quisessem para revender.

A polícia conseguiu chegar até o grupo por causa de uma nova tecnologia usada pela distribuidora de filmes, segundo a delegada Ariene Murad, da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Defraudações, Falsificações, Falimentares e Fazendários (Dedfaz) essa teconlogia permite a perícia identificar (a partir de uma marca d’água), o local, o dia e o horário da gravação.

A partir destes dados os envolvidos foram identificados através de imagens das câmeras de segurança da sala de cinema onde fizeram as gravações.

Comentários

comentários