PM confunde macaco hidráulico com arma e mata 2 no Rio

Um sargento da Polícia Militar do Rio de Janeiro matou dois homens nesta quinta-feira por confundir um macaco hidráulico com uma arma de fogo. O crime ocorreu na Pavuna, Zona Norte, região onde agem quadrilhas de roubo de cargas. Jorge Lucas Paes e Tiago Guimarães estavam em uma moto quando se depararam com policiais militares em ronda. O sargento que estava na viatura pensou que a ferramenta usada na troca de pneus fosse uma arma e abriu fogo. Os tiros acertaram os dois homens. O piloto perdeu o controle da moto e bateu contra um muro. Os dois motociclistas morreram.

CONFUSÃO – Dois mototaxistas foram mortos na Zona Norte do Rio de Janeiro porque um sargento da Polícia Militar confundiu um macaco hidráulico que eles levavam com uma arma de fogo(Reprodução/TV Globo/VEJA)
CONFUSÃO – Dois mototaxistas foram mortos na Zona Norte do Rio de Janeiro porque um sargento da Polícia Militar confundiu um macaco hidráulico que eles levavam com uma arma de fogo(Reprodução/TV Globo/VEJA)

O crime ocorreu na Rua Doutor José Thomas. Segundo a Polícia Civil, o sargento admitiu ter confundido o objeto com uma arma, durante depoimento prestado na 39ª DP (Pavuna). O caso será investigado pela Delegacia de Homicídios do Rio.

Após o crime, houve um protesto de moradores na Avenida Automóvel Clube. Cerca de dez pessoas com os rostos cobertos por camisetas interceptaram um ônibus da linha 372 (Pavuna-Passeio), ordenaram que passageiros e motorista descessem e incendiaram o veículo. Policiais militares conseguiram apagar o fogo, mas o ônibus ficou bastante danificado. Até as 22 horas desta quinta-feira não havia detalhes sobre a abordagem da polícia aos motociclistas nem a identificação completa dos dois mortos.

ESTADÃO

Comentários

comentários