Platini tem pena reduzida e renuncia ao cargo de presidente da Uefa

Michel Platini ainda tentará recorrer no Tribunal (Foto: Lionel Bonaventure /AFP)
Michel Platini ainda tentará recorrer no Tribunal (Foto: Lionel Bonaventure /AFP)

Afastado do futebol desde o ano passado, Michel Platini tem um motivo para comemorar. Nesta segunda-feira o Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) divulgou que o dirigente francês teve sua punição reduzida de seis para quatro anos. Platini foi banido de qualquer atividade relacionada ao futebol ainda no ano passado, quando enfrentou acusações ao lado do ex-presidente da Fifa, Joseph Blatter.

Após sair da decisão, Michel Platini decidiu deixar definitivamente seu cargo de presidente da Uefa. A entidade europeia aguardava uma definição para saber se seria necessárias novas eleições ou poderia tentear com um presidente interino. Com a decisão, o ex-jogador da seleção francesa está livre para tentar reverter sua punição nos tribunais, sem mais compromissos.

Além da redução de seis para quatro anos banido do futebol, Platini também teve sua multa imposta pela Fifa reduzida. Se antes o dirigente era obrigado a pagar à entidade 80 mil francos suíços, agora irá desembolsar 60 mil, cerca de R$ 210 mil. O TAS admitiu a validade do acordo verbal entre Blatter e Platini, no entanto, ainda não há provas de que o depósito de 1,8 milhões de euros na conta do dirigente francês foi legítimo. O valor pago por Blatter refere-se, segundo ele, a um serviço de assessoria que Platini prestou à Fifa em 2002.

Após o anúncio do TAS, a Federação Francesa de Futebol se posicionou em relação ao caso afirmando que Michel Platini é um “homem que sempre trabalhou a favor do futebol”. Joseph Blatter, por sua vez, não quis comentar o assunto. Além do pagamento ao dirigente francês, o suíço também enfrenta acusações referentes a um contrato de direitos de transmissão com valores muito abaixo da média de mercado.

A Uefa anunciou nesta segunda-feira que acontecerá uma reunião do Comitê Executivo no próximo dia 18 de maio, na Basileia. A cidade abrigará no mesmo dia a grande final da Liga Europa e o encontro de dirigentes deve acontecer horas antes da partida entre Sevilla e Liverpool. O encontro deverá decidir a data do congresso que irá eleger o sucessor de Platini no cargo de presidente da entidade que regula o futebol europeu.

Comentários

comentários