Pedro Chaves apresentará Novo Ensino Médio nas escolas de MS

Silvio Ferreira

O senador Pedro Chaves dos Santos Filho (PSC-MS) apresentou em entrevista ao programa Tribuna Livre da Capital FM e ao portal de notícias Página Brazil a cartilha “Novo Ensino Médio: o que é importante saber?”, que explica em detalhes a lei 13.415 e ainda pretende sanar algumas das principais dúvidas que podem surgir relativas ao novo modelo dessa fase da Educação no país.

De acordo com o senador, que apresentará a publicação aos deputados estaduais de Mato Grosso do Sul nos próximos dias e pretende visitar escolas de nível médio para apresentar as mudanças da lei que instituiu o Novo Ensino Médio estabelece uma base nacional curricular e regula à Política de Fomento à Educação em Tempo Integral. Pedro Chaves informou que a publicação deve ser distribuída para todas as escolas de nível médio do país. O senador anunciou ainda que pretende visitar o maior número possível de escolas de Ensino Médio do Estado para apresentar o novo modelo.

Vice-presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado, e egresso do setor da Educação, o senador Pedro Chaves defende as novidades trazidas pelo Novo Ensino Médio como “ferramentas para reduzir a evasão escolar a partir de grades curriculares que direcionarão o estudante mais objetivamente para a área de conhecimento em que este pretende desenvolver sua futura vida profissional.”

Escola Sem Partido – Educador e empresário do setor há mais de 50 anos, o senador comentou ainda um dos temas abordados durante a edição desta segunda-feira (14) do programa Tribuna Livre, pela Capital FM: a proposta de “Escola sem Partido”, elaborada por partidos de direita em reação ao que classificam como “doutrinação ideológica de esquerda por meio do aparelhamento da Educação durante os 13 anos de governo do PT”.

Para o senador, tanto um extremo – o da doutrinação ideológica -, quanto outro – da proposta de “Escola Sem Partido” -, são ruins. “Eu sou radicalmente contra a doutrinação ideológica nas escolas, mas também não posso ser favorável à proposta de Escola Sem Partido, que cerceia o professor na transmissão do conhecimento”, ponderou o senador.

“Como um professor de Filosofia, por exemplo, pode falar dos grandes pensadores, sem explicar suas características ideológicas? Mesmo a literatura adotada durante as aulas será sempre marcada pelo viés ideológico dos diferentes autores. O que não pode haver é doutrinação. Daí a necessidade de discutirmos mais aprofundadamente essa questão, para definirmos quais são os limites entre a transmissão do conhecimento e a doutrinação ideológica”, concluiu.

A íntegra da entrevista do senador Pedro Chaves pode ser conferida na edição desta segunda-feira (14), no canal no Youtube da Capital FM.

Comentários

comentários