Pedreiro que matou ex-mulher já havia sido preso por torturá-la

A polícia apresentou na tarde de hoje o pedreiro Alex Armindo Anacleto de Souza, de 32 anos, acusado pelo homicídio da jovem Isis Caroline da Silva Santos, 24, que havia desaparecido no dia 1° de junho na Capital depois de sair de casa para ir a padaria. O corpo da jovem foi na manhã do último sábado (6) boiando em um rio na região de Ribas do Rio Pardo a 103 quilômetros de Campo Grande.

lex era agressivo nos relacionamentos que tinh
lex era agressivo nos relacionamentos que tinh

Alex, ex-marido de Ísis, foi preso na cidade de Três Lagoas enquanto se preparava para empreender fuga. Segundo a investigadora responsável pelo caso, Maria Campos, o pedreiro ficou esperando a vítima há 4 quadras de distância de seu apartamento e a convenceu de entrar em seu carro para conversarem. Logo após seguiu em direção a Ribas do Rio Pardo onde levou a jovem a um rio próximo a uma estrada e a afogou.

O agressor havia sido preso em flagrante em 2014 depois de torturar Ísis e mantê-la em cárcere privado. Havia 5 meses que Alex estava em liberdade. Na ocasião da prisão ele havia prometido vingança, de acordo com Maria Campos que o classificou como altamente ciumento e completamente fora de si.

CASO

A Polícia deu início as investigações no último dia 2 quando foi acionada para investigar o abandono das duas filhas da mulher, uma de 3 e outra de 6 anos. Elas estavam trancadas em seu apartamento, no Residencial Castelo de Mônaco, no Bairro Pioneiros quando os vizinhos acionaram o Conselho Tutelar, que deixou as crianças com os avós. O corpo de Ísis foi sepultado no dia 6 no Nacional Park Moreninhas.

Luana Campos

 

 

 

Comentários

comentários