Pecuarista é multado pela PMA em R$ 15 mil por assoreamento e destruição de matas ciliares

Após denúncias, Policiais Militares Ambientais de Aparecida do Taboado deflagraram uma operação em uma propriedade rural de Aparecida do Taboado no início da semana, onde constataram a degradação do solo, causada pelo pisoteio do gado e ausência de matas ciliares à beira da nascente e margem de um córrego, o que provocou voçorocas de grandes proporções e assoreamento em uma área de quase três hectares.

Foto: Divulgação/ PMA
                                                         Foto: Divulgação/ PMA

O proprietário da fazenda é morador de Aparecida do Taboado e tem 83 anos de idade, e foi autuado administrativamente e multado em R$ 15 mil, pelos danos ambientais provocados na propriedade rural. Além disso, o fazendeiro responderá a crime ambiental por destruir área de preservação permanente. A pena para este tipo de crime é de um a três anos de detenção.

A PMA determinou a interdição da área para proteção e recuperação, com proibição de todas as atividades agrícolas e pecuárias no local. O proprietário também foi notificado a apresentar Projeto para a Recuperação de Área Degradada (PRAD) junto aos órgãos ambientais competentes, no prazo máximo de 30 dias.

De acordo com a Polícia Militar Ambiental,  a recuperação de áreas degradadas pode ser iniciada voluntariamente pelos produtores rurais, desde que acompanhada por um responsável técnico e comunicada ao Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), para evitar multas e transtornos.

 

Comentários

comentários