Pato e Damião ressurgem como artilheiros e decidem vaga entre SP e Cruzeiro

A partida entre Cruzeiro e São Paulo, nesta quarta-feira, às 19h30, no Mineirão, definirá qual dos clubes brasileiros enfrentará o vencedor do clássico argentino entre Boca Juniors e River Plate, que também disputam as oitavas de final da Copa Libertadores.

Pato e Damião duelam esta noite no Mineirão Montagem: REUTERS/Andres Stapff e Paulo Fonseca/EFE
Pato e Damião duelam esta noite no Mineirão Montagem: REUTERS/Andres Stapff e Paulo Fonseca/EFE

Em lados opostos do gramado, Leandro Damião e Alexandre Pato, atacantes que já vestiram a camisa 9 da seleção brasileira, são os artilheiros de cada equipe em 2015. Damião está na lista de suplentes da seleção brasileira para a Copa América, e Pato diz viver a melhor fase da carreira.

Damião e Pato têm 12 gols em 2015, e três cada um na Copa Libertadores. São os artilheiros dos dois clubes na competição – os líderes do ranking geral são os argentinos Gustavo Bou, do Racing, e Guido Carrillo, do Estudiantes, com sete gols marcados.

Os números na competição entre a dupla são semelhantes. Damião jogou um jogo a mais, porque Pato não participou dos clássicos contra o Corinthians, por veto contratual do empréstimo. O atacante são-paulino leva vantagem pela frequência com que faz gols, a cada 126 minutos, contra um gol a cada 172 minutos do cruzeirense. Damião, porém, se mostra mais finalizador, com 17 chutes a gol na competição contra 10 de Pato.

Há um ano, em péssima fase pelo Santos e nem com a titularidade na Vila Belmiro garantida, a hipótese de Damião voltar à seleção brasileira estava descartada. O recomeço com gols no Cruzeiro fez com que o atacante fosse escolhido por Dunga para integrar a lista de sete suplentes para a Copa América.

Caso Neymar, Diego Tardelli, Robinho ou Roberto Firmino tenha algum problema, o cruzeirense é mais do que favorito para ser o escolhido.

Para Pato, 2015 também é um ano de reconstrução: “Estou no momento mais importante da minha carreira. Venho numa sequência boa, de gols que passaram meus números no Milan”, disse, na semana passada.

As semelhanças entre Damião e Pato não ficam apenas nesta fase de ressurgimento, em 2015. Além dos números semelhantes agora, os companheiros de posição fizeram temporadas muito parecidas em 2014.

No Santos, Damião marcou 11 gols em 44 jogos. Em seu primeiro ano no São Paulo, marcou 12 gols também em 44 jogos.

Damião tem afirmado que a diferença para que voltasse a marcar gols com maior frequência foi a pré-temporada no Cruzeiro: “Só depois do primeiro jogo que a gente sabe o que pode render. Desde a pré-temporada, que foi muito boa, eu me senti muito bem. Tenho ido bem fisicamente e isso me ajuda bastante”.

Nesta quarta-feira, Pato ainda deverá deixar outro artilheiro no banco. A tendência é que o técnico interino Milton Cruz, que defende a vantagem depois de vencer por 1 a 0 no Morumbi, escale apenas o camisa 11 no ataque e coloque Luis Fabiano no banco de reservas.

O camisa 9 não participou da primeira partida porque cumpria suspensão referente à expulsão contra o Corinthians, no último jogo da fase de grupos. No domingo, o São Paulo estreou no Brasileirão e Pato foi poupado enquanto Luis Fabiano foi titular – cada um marcou um gol na vitória por 2 a 1.

Milton Cruz também deverá contar com o retorno de Michel Bastos, que se recuperou após contrair dengue e está relacionado para o jogo. A volta do meia deve fazer com que o argentino Ricardo Centurión, autor do gol no Morumbi, volte ao banco de reservas.

O interino deve armar o São Paulo no mesmo 4-4-1-1, com Wesley como meia esquerda, Michel pela direita, e Paulo Henrique Ganso mais avançado. No Cruzeiro, Marcelo Oliveira não deverá promover alterações na equipe que jogou no Morumbi.

FICHA TÉCNICA CRUZEIRO X SÃO PAULO

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 13 de maio de 2015, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Andrés Cunha (URU)
Assistentes: Miguel Nievas (URU) e Gabriel Popovirs (URU)

CRUZEIRO: Fábio; Mayke, Léo, Manoel e Eugenio Mena (Pará); Willians, Henrique, De Arrascaeta e Marquinhos; Willian (Gabriel Xavier) e Leandro Damião
Técnico: Marcelo Oliveira

SÃO PAULO: Rogerio Ceni; Bruno, Rafael Tolói, Dória (Lucão) e Reinaldo; Michel Bastos, Denilson, Souza e Wesley; Ganso; Alexandre Pato
Técnico: Milton Cruz

Comentários

comentários