Partido exclui deputado que tenta pôr Deus na Constituição

O PSOL excluiu do partido o deputado federal Cabo Daciolo (RJ). O Diretório Nacional da legenda aprovou, no sábado, a decisão com 54 votos contra 1. A votação teve duas abstenções.

Deputado federal Cabo Daciolo (Psol-RJ) deve recorrer da decisão do partido no Congresso Foto: Facebook / Reprodução
Deputado federal Cabo Daciolo (Psol-RJ) deve recorrer da decisão do partido no Congresso Foto: Facebook / Reprodução

A ex-deputada Janira Rocha, que votou a favor da permanência de Daciolo, afirmou que ele recorrerá da decisão ao Congresso Nacional, como prevê o estatuto do partido.

A sigla informou que não vai pleitear o mandato de Daciolo.

A decisão de expulsar o deputado do partido se deve ao fato de ele ter insistido em incluir Deus na Constituição do País e defender os policiais militares acusados de participar da morte do pedreiro Amarildo, no Rio de Janeiro.

“O PSOL reconhece o histórico de Daciolo na luta social de sua categoria mas considera que ele, com sua insistência na PEC [Proposta de Emenda à Constituição] que visa colocar Deus na Constituição (como fonte de todo o poder) e a defesa da inocência dos PMs acusados no Caso Amarildo, contrariou o estatuto, o programa e posições públicas do partido, além de deliberações da bancada com as quais tinha compromisso”, escreveu o deputado líder do partido na Câmara, Chico Alencar (RJ), em sua página no Facebook.

Comentários

comentários